Publicidade

Correio Braziliense

Vídeo: brasilienses são surpreendidos com chuva de granizo nesta segunda

Inmet emite alerta de perigo potencial e prevê ventos de 60km/h


postado em 29/10/2018 14:23 / atualizado em 29/10/2018 15:05

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Ventos fortes, muitos raios e trovões e até granizo (veja vídeo abaixo). Na tarde desta segunda-feira (29/), os brasilienses foram surpreendidos com uma chuva forte, que pegou muita gente desprevenida após o almoço.

O clima estava ensolarado em muitas áreas, mas, ao meio-dia, o céu escureceu e as pancadas começaram. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de perigo potencial, prevendo chuvas de até 50 mm/dia e ventos de até 60km/h. Além de possíveis alagamentos, há perigo de descargas elétricas, queda de galhos de árvores e chance de corte de energia.
 
 

 
Engarrafamento 

No Sudoeste, a forte chuva obrigou os motoristas a reduzir a velocidade para cerca de 20km/h na 1ª Avenida, devido à baixa visibilidade e uma enxurrada que cobriu o meio fio. Da quadra 304 até o cruzamento com o Eixo Monumental, muitos preferiram parar os carros e motos nas áreas de recuo dos ônibus a continuar dirigindo.
 
Na EPTG, o mau tempo provocou um engarrafamento imenso. No começo da tarde, a lentidão ia do primeiro viaduto de acesso ao SIA, sentido Plano Piloto, até as pistas que ligam a rodovia à área central da cidade. Leitores registram chuva também em Sobradinho, na Rodoviária do Plano Piloto, Setor de Indústrias Gráficas e no Cruzeiro. Na Epia Norte, as os condutores também enfrentaram chuva forte. 
 
 
Na Asa Norte, motoristas foram surpreendidos pela correnteza na quadra 201. O publicitário Alessandro Pignata, 34, viu as ruas da região serem tomadas pela água. "Observei que alguns motoristas insistiram em passar com carros comuns ali no balão, ponto de maior alagamento, mas recuaram". Ele conta que, apesar de muitos terem se assustado, o episódio é recorrente no período chuvoso, "já é rotina pra quem trabalha ou mora por aqui ver isso acontecer na época de chuvas em Brasília".

O bancário Emanuel Albuquerque, 52, também presenciou do interior do edifício onde trabalha, as águas invadindo as ruas na quadra 202 Norte. "Aqui é tudo fechado, não consegui ver se teve algum problema na rua, mas os colegas alertaram que estava chovendo granizo". Com o celular, Emanuel registrou a formação de um algamento asfalto, situação requer cuidados redobrados aos pedestres, que inadvertidamente podem se acidentar de forma mais grave. 
 
Redemoinho se forma após chuva de granizo que atingiu toda a região central de Brasília. (foto: Arquivo pessoal)
Redemoinho se forma após chuva de granizo que atingiu toda a região central de Brasília. (foto: Arquivo pessoal)

 
Toda a região central de Brasília foi atingida pelo granizo. Na W3 muitos motoristas preferiram parar os carros e esperar que o tempo melhorasse. Passando pela região, a advogada Nayara de Araújo Antunes, 30, optou estacionar e seguir somente após se sentir mais segura. "Os carros não conseguiam prosseguir da W3 Norte para a W3 Sul, principalmente na altura da 511 Norte, devido ao ponto de alagamento formado na pista", relata. 
 
Ver galeria . 10 Fotos Andressa Paulino/CB/ DA Press
(foto: Andressa Paulino/CB/ DA Press )
 
 

Socorro

De acordo com o capitão do Corpo de Bombeiros, Ronaldo Reis, a corporação já atendeu a pelo menos quatro ocorrências por conta da forte chuva que caiu no início da tarde desta segunda-feira. Além disso, ele disse que há registros de alagamentos em tesourinhas da Asa Norte e acidentes de trânsito na região do Plano Piloto. Para evitar que mais transtornos aconteçam, o capitão pediu que a população evite sair às ruas enquanto a tempestade não cessar.

"Em uma chuva intensa como essa, com queda de granizo e fortes enxurradas, as principais recomendações são que as pessoas evitem trafegar e estacionem em locais seguros, fora das vias. Se possível, que liguem o pisca-alerta dos seus carros, como forma de segurança", apontou. O capitão destacou, no entanto, que as pessoas não devem ficar muito tempo dentro dos automóveis. "É preferível que elas encontrem um local seguro para se abrigar", alertou Ronaldo Reis.
 

Recomendações de segurança

  • Em caso de rajadas de vento: não se abrigar debaixo de árvores, pois há leve risco de queda e descargas elétricas e não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.
  • Evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.
  • Para mais cuidados, procure a Defesa Civil (telefone 199) e o Corpo de Bombeiros (telefone 193).
*Estagiários sob a supervisão de Adriana Bernardes. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade