Publicidade

Correio Braziliense

Tribunal do Júri condena mulher que tentou assassinar vítima queimada

Emília Soares tentou matar Célia Alves jogando combustível no corpo dela e ateando fogo. Emília ainda tentou esfaquear a vítima. Agora, vai cumprir pena de 16 anos e oito meses de reclusão


postado em 07/11/2018 13:30 / atualizado em 07/11/2018 14:30

(foto: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
(foto: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
O Tribunal do Júri de Taguatinga condenou nesta terça-feira (7/11) Emília Soares Costa Lula, 35 anos, pela tentativa de homicídio de Célia Alves Landim, 47 anos. O crime ocorreu na manhã do dia 19 de julho de 2014 e foi registrado na 12ª delegacia de polícia, em Taguatinga. A ré irá cumprir, em regime inicialmente fechado, 16 anos e oito meses de prisão. 

Segundo o processo, no dia do crime, a ré e a vítima estavam no centro de Taguatinga quando Célia, em tom de brincadeira, ameaçou denunciar Emília a polícia por ela estar esperando a entrega de produtos provenientes de um furto. A acusada bradou que a vítima, por ser "cagueta", deveria morrer, momento em que, aproveitando-se que Célia encontrava-se de costas, despejou uma garrafa de álcool (combustível de veículos) sobre o corpo da vítima e, segurando-a, ateou fogo.

Enquanto queimava, a vítima conseguiu se enrolar em um cobertor e apagar as chamas. Contudo, não satisfeita, a denunciada ainda desferiu golpes de faca contra ela mas não conseguiu atingi-la. 

Durante o interrogatório Emília foi condenada por tentativa de homicídio duplamente qualificado por emprego de fogo e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, que foi apanhada de surpresa, pelas costas. O juiz decretou a prisão preventiva da acusada e ela não poderá recorrer em liberdade. 

 
Com informações do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade