Publicidade

Correio Braziliense

Governador eleito do DF, Ibaneis é recebido com festa no Piauí

O governador eleito do Distrito Federal está na cidade de Corrente, onde foi criado, para reencontrar amigos e familiares. Moradores da região organizam uma caravana para participar da cerimônia de posse do advogado, em 1º de janeiro


postado em 10/11/2018 07:00

Ibaneis Rocha deixou o aeroporto de Corrente em um trio elétrico(foto: Arquivo Pessoal)
Ibaneis Rocha deixou o aeroporto de Corrente em um trio elétrico (foto: Arquivo Pessoal)
Depois de anunciar oito nomes que farão parte do próximo mandato, o governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), fez uma pausa nas negociações para a composição da equipe e viajou para Corrente, no Piauí, cidade onde passou boa parte da infância e da adolescência, para descansar até domingo. O advogado também deixou Brasília para reencontrar amigos, familiares e autoridades locais. Convidado por Ibaneis, o deputado distrital reeleito Cláudio Abrantes (PDT) o acompanhou na visita.

Ibaneis chegou a Corrente na quinta-feira. No pequeno aeroporto da cidade, foi recebido por dezenas de amigos e moradores do local. Emocionado, o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no DF participou de uma carreata, com direito a trio elétrico, até o parque de exposições de Corrente, onde houve churrasco e apresentação de artistas locais.

Proprietário de um restaurante na cidade, Wesley Edson da Silva, 35 anos, contou que a visita do governador eleito do Distrito Federal impactou o município, que tem pouco mais de 26 mil habitantes. “Quase todo mundo foi recebê-lo no aeroporto e o acompanhou. O pessoal de localidades vizinhas, como Sebastião Barros, Parnaguá e Cristalândia do Piauí, também veio pra cá”, disse.

Cleia de Sousa, 52, trabalha em uma farmácia de Corrente e conta que conheceu Ibaneis ainda pequeno, quando estudava em uma escola do município. Segundo ela, a visita do futuro governador agitou o município. “Eu tentei vê-lo, mas quando eu cheguei lá, ele já tinha ido embora. Uma pena. Até chorei de tristeza”, destacou. O vereador e proprietário de um restaurante da região Cristóvão Neto, 34, reforçou a popularidade de Ibaneis no Piauí. “Ele sempre foi muito querido aqui na nossa região, e alguns parentes dele ainda moram aqui. Quando chegou, ele chorou e se emocionou ao lembrar do pai”, contou.

Cerca de 50 moradores de Corrente organizam uma caravana para participar da posse de Ibaneis na capital federal em 1º de janeiro. Um ônibus partirá da cidade, com destino a Brasília, em 30 de dezembro. “A ideia é levar a turma toda. O sentimento é de agradecimento ao filho ilustre da cidade. Ele saiu daqui e voltou governador da capital. É um orgulho para todos nós”, ressaltou.

Apesar de o objetivo da viagem ser o descanso, Ibaneis não deixou a política de lado. O governador eleito se encontrou com prefeitos de municípios da região e outras autoridades de Corrente. E participou de um evento em apoio à candidatura da advogada Geórgia Nunes à Presidência da OAB no Piauí. Geórgia é afilhada política do advogado William Guimarães, amigo de Ibaneis. Em discurso, ele criticou adversários locais e declarou, como próximo chefe do Buriti, que vai se empenhar em defender o Estado e a classe: “Vou lutar para a advocacia e o estado do Piauí voltarem a ser valorizados”.

Segurança e ressocialização


A ressocialização será uma das pautas principais da gestão do próximo secretário de Segurança, o policial federal Anderson Gustavo Torres. Seguindo conselho do governador eleito do DF, Ibaneis Rocha, o futuro líder das forças de segurança garante que respeitar os direitos humanos será uma “obrigação legal”. Em entrevista no Centro Internacional de Convenções de Brasília (CICB), onde ocorrem reuniões do governo de transição, Anderson afirmou ser contrário à proibição do saidão. “Estou preocupado com a ressocialização dos presos. Não adianta só prender, precisamos saber o que fazer com essas pessoas ao sair do sistema (prisional)”, disse. Para isso, o futuro secretário quer implementar a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap). Anderson era chefe de gabinete do deputado federal Fernando Francischini (PSL/PR), ligado ao presidente eleito, Jair Bolsonaro.

*Estagiária sob a supervisão de Guilherme Goulart

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade