Publicidade

Correio Braziliense

Professora passa mal e morre em sala de aula de escola em Taguatinga

Angélica Ferreira Dulci, 49, sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu


postado em 28/11/2018 17:36 / atualizado em 28/11/2018 19:35

Angélica Ferreira Dulci tinha 49 anos e cuidava da biblioteca da CEF 5 de Taguatinga Sul(foto: Acervo pessoal/Reprodução)
Angélica Ferreira Dulci tinha 49 anos e cuidava da biblioteca da CEF 5 de Taguatinga Sul (foto: Acervo pessoal/Reprodução)
Uma professora de 49 anos morreu após passar mal dentro da sala de aula. O caso aconteceu no Centro de Ensino Fundamental 5, em Taguatinga Sul, por volta das 14h desta quarta-feira (28/11). De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, Angélica Ferreira Dulci, 49, sofreu um mal súbito.  

Os militares informaram que o quadro da professora evoluiu para uma parada cardiorrespiratória. Segundo a corporação, os socorristas realizaram processo de reanimação cardiopulmonar por 52 minutos, mas a vítima não resistiu e morreu no local.  

O professor de história e geografia da escola, Alexandre Veiga, 50 anos, conta que Angélica queixava-se de dores em um dos braços durante a manhã desta quarta-feira (28/11). "A gente não esperava que fosse algo mais grave, ela dizia que era uma dor comum, talvez problema na pressão. Ficou naquela de conter a situação, se a dor piorasse ela buscaria atendimento médico", relata.

Angélica Ferreira Dulci era reponsável pela biblioteca da unidade. Amante das artes, organizava a semana literária da escola e estava nos preparativos finais para compor um coral com os estudantes. Segundo seus pares, a professora era querida na instituição, na qual trabalhava há mais de cinco anos.
 

Tristeza 


No momento em que Angélica sofreu o mal súbito, os alunos do turno vespertino estavam em sala de aula. A professora encontrava-se em seu posto de trabalho, na biblioteca, desacompanhada. "Assim que souberam da situação, a primeira coisa que fizemos foi fechar a porta da biblioteca, avisar os professores e suspender as aulas. O clima era terrível", relata Alexandre.

O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) participaram do atendimento à ocorrência. No momento, de acordo com os bombeiros, apenas professores estavam dentro da sala de aula. A Polícia Civil também foi acionada para apurar o caso. 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade