Publicidade

Correio Braziliense

De especial interesse para Ibaneis, eleição da OAB movimenta o DF

A votação vai até as 17h e, além do novo presidente e da diretoria geral da OAB/DF, elegerá também conselheiros regionais e federais


postado em 29/11/2018 13:33 / atualizado em 29/11/2018 13:35

A concentração de advogados e advogadas em frente a seção eleitoral de Taguatinga Norte começou bem cedo(foto: Thiago Melo/ CB press)
A concentração de advogados e advogadas em frente a seção eleitoral de Taguatinga Norte começou bem cedo (foto: Thiago Melo/ CB press)
Em uma eleição que tem especial interesse para o governador eleito Ibaneis Rocha, milhares de advogados escolhem, nesta quinta-feira (29/11), os membros da nova diretoria que vai comandar a Ordem dos Advogados do Brasil seccional do Distrito Federal (OAB/DF) no triênio 2019/2021. Também serão eleitos conselheiros federais e representantes das subseções regionais e da Caixa de Assistência dos Advogados (CAA/DF).

Na disputa pelo comando da OAB-DF há quatro chapas: Quem sabe faz a Ordem, liderada pelo atual secretário-geral Jacques Veloso; Independência na Ordem, presidida por Délio Lins e Silva Junior; Somos todos OAB, encabeçada por Max Telesca; e Ordem democrática, liderada por Renata Amaral. Já em relação à disputa pelas 11 subseções regionais, foram inscritas 24 chapas. Os eleitos representarão as regiões do DF junto a sede da OAB/DF.
 
Ex-presidente da OAB-DF, o governador eleito do DF, Ibaneis Rocha, tem acompanhado de perto a eleição e trabalhando para eleger Veloso. A vitória de Silva Júnior como novo presidente, antigo adversário de Ibaneis, que já presidiu a OAB/DF, pode representar uma gestão crítica ao futuro ocupante do Palácio do Buriti

As eleições começaram às 9h e devem ocorrer até as 17h em vários locais do DF, entre eles o Centro de Convenções Ulysses e Subseções de Brazlândia, Ceilândia, Gama e Santa Maria, Guará, Núcleo Bandeirante e Riacho Fundo, Paranoá, Planaltina, Samambaia, São Sebastião, Sobradinho e Taguatinga. 

Também foram instaladas seções de votação na Advocacia Geral da União, na Câmara dos Deputados, na Câmara Legislativa do Distrito Federal e na Defensoria Pública do Distrito Federal.


Filas em Taguatinga

Por volta das 9h30, uma fila enorme se formou em frente ao prédio da OAB, subseção de Taguatinga Norte, localizado na QI 10. No local houve grande movimentação de apoiadores das duas chapas que concorrem ao comando da subseção. Advogados e advogadas que chegavam, formaram uma fila em frente a entrada do prédio. O clima foi de tranquilidade.

Rayanne Carla, que vota em Taguatinga, afirmou que espera uma nova gestão qute se preocupe com os novos advogados(foto: Thiago Melo/ CB press)
Rayanne Carla, que vota em Taguatinga, afirmou que espera uma nova gestão qute se preocupe com os novos advogados (foto: Thiago Melo/ CB press)
A advogada Rayanne Karla Caixeta, 25 anos, chegou bem cedo ao local de votação em Taguatinga. "Espero que a nova gestão dê mais apoio aos jovens advogados, àqueles que estão no início de carreira, que ela possa melhorar nossas garantias, porque hoje são muitos os advogados que passam por desagravos públicos, com as prerrogativas feridas e eu quero mudanças, melhorias”, disse.

Na seção eleitoral do Guará, localizada no Fórum Desembargadora Maria Thereza de Andrade, o clima estava mais tranquilo pela manhã. Houve pouco movimento e na frente da seção poucos apoiadores das chapas faziam campanha. 

Para o advogado Leandro Marinho, 37 anos, a nova diretoria precisa ser mais independente e imparcial. Ele defendeu que a Ordem trabalhe em prol de melhorias na estrutura das subseções. Ele disse, por exemplo, que na regional do Guará, falta acessibilidade. 

"Eu espero que a OAB não veja só as intenções particulares dos gestores. Falta mais atenção voltada para as estruturas. Acho que a OAB é bem valorizada, mas precisamos que a OAB não tenha donos, que ela não trabalhe a favor dos caciques. Trabalhar em prol de todos os advogados, sem distinção”, defendeu.


Voto obrigatório

Para votar, é preciso que o advogado ou advogada tenha seu registro atualizado e tenha feito a inscrição até o último dia 26. O voto é obrigatório e aqueles que não conseguirem votar deverão justificar a ausência até 29 de janeiro de 2019 no site da OAB/DF. Caso não o faça, o advogado pode ter de pagar multa.

Nem todos os advogados concordam com a obrigatoriedade. Ayanni Cristine Mesquita, 27 anos, é uma delas. "Só vou votar porque agora eles aplicam multa", disse a moradora do Guará, que espera uma nova gestão voltada não a interesses particulares, mas aos de toda a categoria. 
  
*Estagiário sob a supervisão de Humberto Rezende

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade