Publicidade

Correio Braziliense

Após mobilização da comunidade, Parque de Águas Claras será expandido

Moradores de Águas Claras se mobilizam e conseguem a ampliação do Parque Ecológico. Expectativa é de melhorias nos equipamentos e na qualidade de vida da população


postado em 02/12/2018 07:00 / atualizado em 02/12/2018 09:46

(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
Repleta de prédios, Águas Claras é conhecida por ser a cidade mais verticalizada do Distrito Federal. Em meio à selva de concreto, moradores se mobilizaram em busca de áreas verdes. Com mais de mil assinaturas, uma petição conseguiu sensibilizar o Executivo e, agora, parte da Residência Oficial do governador será destinada à ampliação do Parque Ecológico de Águas Claras.

Em junho, o chefe do Palácio do Buriti, Rodrigo Rollemberg (PSB), assinou decreto para a ampliação do parque. No total, ele será expandido em mais de 30 hectares, totalizando 130 hectares, ou seja, o equivalente a mais de 100 campos de futebol. Hoje, a população conta com trilhas para caminhadas, quadras de esportes, espaços para musculação e parques infantis. Com a alteração, a expectativa é de que os pontos de lazer sejam multiplicados e que ocorra a manutenção dos existentes.

À frente do grupo responsável pelo abaixo-assinado que iniciou a luta pelo espaço verde, o jornalista João Carlos Bertolucci, 56 anos, relata que, com outros moradores da região, criou o movimento “O parque é nosso”. Por meio dele, mais de mil pessoas assinaram o documento entregue ao governador em fevereiro. Em seguida, reuniões entre as partes — mais de 10 — fizeram com que o projeto saísse do papel e fosse colocado em prática. “Esse processo de ampliação do parque é reivindicado há 10 anos. A área fazia parte da residência do governador e ninguém podia utilizar; por isso, criamos a iniciativa”, lembra João Carlos.

A mobilização da comunidade garantiu a expansão do parque em mais 30 hectares, totalizando 130(foto: Walder Galvão/Esp. CB/D.A Press)
A mobilização da comunidade garantiu a expansão do parque em mais 30 hectares, totalizando 130 (foto: Walder Galvão/Esp. CB/D.A Press)


O jornalista ressalta que a população abraçou o projeto e passou a lutar por ele. “Conseguimos as assinaturas em sete dias. Íamos ao parque aos fins de semana e explicávamos o projeto para a população. Percebemos que até mesmo quem não é frequentador tem o desejo de melhorias para essa área”, frisa.

Além da expansão, o parque ganhará mais pontos de acesso. Um deles será pela Estrada Parque Taguatinga (EPTG), o que também atrairá público ao local. “Quem mora em Vicente Pires conseguirá acessar o parque pela passarela da EPTG. O nosso objetivo é de que todos consigam usufruir dessa extensa área verde”, comenta João Carlos. Segundo ele, os moradores de Águas Claras começaram a frequentar a área expandida, antes da inauguração oficial. “As grades que dividiam as áreas foram retiradas há um mês. Mesmo em obras, as pessoas começaram a ocupar o local”, diz.

Além do vasto espaço verde, o local conta com diversas opções para a prática de esportes(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Além do vasto espaço verde, o local conta com diversas opções para a prática de esportes (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)


Comemoração


Inaugurado nos anos 2000, o Parque Ecológico de Águas Claras é um ponto de encontro e até mesmo fonte de renda para alguns. Leonardo Bruno Rodrigues, 41, é treinador de futebol e dá aulas nas quadras do local. Para ele, a ampliação do parque significa a possibilidade de desenvolver o esporte na cidade. “As pessoas terão mais locais para se exercitar. Temos uma quadra de areia e outra, de campo sintético. Agora, a nossa expectativa é de que sejam inauguradas outras”, afirma. Para o treinador, o ponto de acesso pela EPTG vai facilitar a vida de muito alunos. “Muitos estudantes moram em Vicente Pires. Agora, eles conseguem vir para as aulas por dentro do parque”, comemora.

O projeto de expansão inclui ainda mais pontos de acesso à área de lazer, um deles pela EPTG(foto: Claudio Reis/Esp. CB/D.A Press)
O projeto de expansão inclui ainda mais pontos de acesso à área de lazer, um deles pela EPTG (foto: Claudio Reis/Esp. CB/D.A Press)


O produtor cultural Fernando Brandt, 51, destaca que, agora, é o momento para implementar projetos da área no parque. “Depois dessas melhorias, poderemos agregar diversas atividades à população, além das esportivas. Podemos promover peças teatrais, orquestras e instalar quiosques”, sugere. “Temos muitas oportunidades de fazer eventos para a comunidade. Isso é básico, mas um passo muito grande. Precisamos fazer a população sair de casa e vir para cá”, comenta. Outro ponto observado por Fernando é a acessibilidade. “Águas Claras não oferece ampla acessibilidade a pessoas com deficiência. No parque, isso precisa ser diferente”, alerta.


  • Infraestrutura

    O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) informa que o parque contará com uma ciclovia e uma pista de corrida com mais de 3 quilômetros. Essas obras devem ser entregues até a primeira quinzena de dezembro, quando a nova área será aberta oficialmente aos frequentadores. Equipamentos de lazer e quadras serão projetados a 
    partir das demandas dos frequentadores.



  • » Conheça
    Parque Ecológico de Águas Claras

    » Horário de funcionamento
    Diariamente, das 6h às 22h

    » Endereço
    Avenida Castanheiras, Centro. Situado atrás da Residência Oficial de Águas Claras, entre as quadras 301, 104, 105 e 106

    » Atrações
    Floresta preservada com riachos
    Dois lagos
    Árvores frutíferas
    Quadras de esportes

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade