Publicidade

Correio Braziliense

Hotel Nacional de Brasília é vendido em leilão por R$ 93 milhões

Valor da venda será destinada ao pagamento de dívidas da falida empresa Petroforte, que já foi uma das principais distribuidoras de petróleo no Brasil


postado em 03/12/2018 22:22 / atualizado em 04/12/2018 18:07

Vista do Hotel Nacional de Brasília, em 1993(foto: Paola Antony/CB/D.A Press)
Vista do Hotel Nacional de Brasília, em 1993 (foto: Paola Antony/CB/D.A Press)
Após três tentativas, o Hotel Nacional de Brasília é leiloado. A empresa Incorp Empreendimento Imobiliário fez o único lance para a compa do edifício, no valor de R$ 93 milhões, que será pago de forma parcelada. 

A venda foi homologada pela 3ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, na última quinta-feira (29/11). A proposta foi feita após o prazo final da venda online, pelo site Mega Leilões e foi realizada presencialmente. O juiz Marcelo Barbosa Sacramone, na homologação da venda, autorizou o protocolo. "Diante da apresentação da melhor proposta, aparenta ser de interesse o preço ofertado, de modo que homologo o auto de arrematação. Deposite o preço e aguarde-se o prazo de oposição de eventuais embargos".

Apesar de o edifício, finalmente, ter sido vendido, o preço não salta aos olhos. O Hotel Nacional de Brasília era avaliado em mais de R$ 140 milhões. Além dos 10 andares e 347 apartamentos e suites, o piso do edifício já foi tocado pelos pés da rainha da Inglaterra, Elizabeth II, do seu marido, príncipe Philip e do ex-presidente francês Charles de Gaulle. Mas a história da edificação e seus locatários não rendeu uma oferta à altura do esperado, tendo sido vendido por R$ 93 milhões - 66% do avaliado.

O valor arrecadado servirá para quitar parte das dívidas da empresa Petroforte, declarada falida em 2001 pela Justiça de São Paulo.
Presidente da República, Fernando Collor de Mello, com o gerente geral do Hotel Nacional, Marco Antonio Ferreira, no Hotel Nacional em 1990.(foto: Arquivo/Hotel Nacional)
Presidente da República, Fernando Collor de Mello, com o gerente geral do Hotel Nacional, Marco Antonio Ferreira, no Hotel Nacional em 1990. (foto: Arquivo/Hotel Nacional)

O edifício


O prédio foi construído um ano após o surgimento de Brasília, em 1961. Era uma das edificações mais luxuosas da recente capital federal. A localização também era de bom grado - no centro da cidade, à beira do Eixo Monumental, que dá caminho aberto aos centros do poder de Brasília.

O luxo foi se perdendo ao longo da história, com a criação de hotéis modernos e o dinheiro se tornando mais escasso para a empresa Petroforte, que já foi uma das principais distribuídoras de petróleo do Brasil. 

Hoje, entre os apartamentos, destacam-se as suítes presidencial e master, com 260m² e 89m² de área, respectivamente. No edifício, também estão quatro salões para festas e eventos, uma piscina aquecida, 12 salas de reunião, salão de beleza, lojas e um centro de estética.

A reportagem tentou entrar em contato com a empresa Incorp, nova dona do Hotel Nacional de Brasília, mas não teve retorno.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade