Publicidade

Correio Braziliense

Ibram fará audiência para debater parcelamento de solo do Lago Oeste

Projeto tem gerado discussão entre governo e produtores. Para um lado, a proposta visa a regularização fundiária; para o outro, problemas para construção


postado em 03/12/2018 23:15

Lago Oeste ao lado da DF 001, via que dá acesso ao local(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Lago Oeste ao lado da DF 001, via que dá acesso ao local (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) anunciou a realização de audiência pública, no dia 15 de dezembro, para a apresentação e discussão do estudo e relatório de impacto ambiental referente ao parcelamento de solo do Núcleo Rural Lago Oeste, localizado em Sobradinho. 

O objetivo do parcelamento do espaço, segundo o Ibram, é "destinar o local para a produção de alimentos de alto valor nutritivo para a complementação alimentar da população do DF", além de produzir matérias primas específicas para o setor industrial. Isso seria possível a partir da aprovação do estudo de impacto ambiental relizado pelo instituto. 

O licenciamento ambiental do Núcleo Rural Lago Oeste está ligado à regularização fundiária sustentável das terras da União. O Ibram acredita que é possível proceder à regularização fundiária na região a partir da criação de mecanismos de pacificação social, como destinando os espaços da região a produções específicas.

Um dos problemas, aponta a Associação dos Produtores Rurais do Núcleo Rural do Lago Oeste (Asproeste), é que durante este período de criação e aprovação do estudo de impacto ambiental, os produtores e ocupantes da região estão impedidos de construir qualquer edificação.

A audiência pública começará às 9h do dia 15 de dezembro deste ano, na Asproeste, localizada no Núcleo Rural Lago Oeste.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade