Publicidade

Correio Braziliense

'Vovó do Tráfico' e família são presos pela Polícia Civil no Varjão

Os criminosos atuam na venda de entorpecentes, principalmente o crack e outros delitos


postado em 07/12/2018 14:06 / atualizado em 07/12/2018 18:16

 As investigações, da operação intitulada Operação GK2, duraram seis meses e resultaram na expedição dos mandados e prisão dos envolvidos(foto: Isabela Guimarães/Esp.CB/D.A Press)
As investigações, da operação intitulada Operação GK2, duraram seis meses e resultaram na expedição dos mandados e prisão dos envolvidos (foto: Isabela Guimarães/Esp.CB/D.A Press)
 
Dezesseis traficantes e um menor de idade foram presos na manhã desta sexta-feira (07/12) por agentes da Polícia Civil. Conhecida como Vovó do Tráfico ou Janice, Maria dos Santos, 50 anos, e mais cinco pessoas da família, incluindo filhos, enteados e noras estão entre os presos. Eles são integrantes de uma gangue denominada GK2, moradores da Quadra 2 do Varja%u0303o. Os criminosos atuavam na venda de entorpecentes, principalmente o crack e outros delitos. As investigac%u0327o%u0303es, da operação intitulada Operação GK2, duraram seis meses e resultaram na expedic%u0327a%u0303o dos mandados e prisa%u0303o dos envolvidos.

A família está envolvida com o crime desde abril de 2017 quando o Nomerimo, esposo da Vovó do Tráfico também foi preso. A delegada responsável pelo caso, Mônica Ferreira, destacou que Nomerimo atuava na Quadra 6, do Varjão. "Em volta do tráfico temos vários outros crimes, como furtos e roubos", explicou. Os clientes da gangue são de lugares como Lago Sul, Lago Norte, Asa Norte e do próprio Varjão.

Depois da prisão do marido, Janice se mudou para a Quadra 2. No local, ela e o filho Júlio dos Santos Silva, 25 anos, mais conhecido como Gorducho, firmaram parceria com um traficante do novo endereço, Gustavo de Jesus Alves, 22 anos, apelidado de Guga, o que tornou a gangue mais forte. 

Há cerca de 20 dias começou uma guerra entre gangues. Dois traficantes de outra facção, Simon e Clayton tentaram matar o Gorducho, porém ambos foram atingidos em uma troca de tiros e ficaram hospitalizados. "Foi assim que o movimento ficou tenso na região", explicou a delegada."É importante devolver paz e tranquilidade para a comunidade do Varjão. A população nos agradeceu hoje", destacou a titular da 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte).

Os criminosos devem ficar presos por no mínimo 15 anos. Todos já tinham passagem pela polícia. Na operação foram emitidos um flagrante de porte de arma, um de receptac%u0327a%u0303o de um celular roubado e dois termos circunstanciados por porte e uso de drogas.
 
*Estagiária sob supervisão de Anderson Costolli 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade