Publicidade

Correio Braziliense

Homem tira vida de outro que o reprimiu por assédio e é condenado por juri

Réu recebeu 21 anos e quatro meses de prisão. O crime aconteceu em 2013, em Ceilândia. Ele vai cumprir a pena em regime inicial fechado


postado em 18/12/2018 23:00

(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
Um homem foi condenado a 21 anos de prisão por matar outro em Ceilândia. A vítima, Luan Cleiton de Carvalho Matis, morreu, porque teria defendido a namorada de um amigo do assédio do réu. O crime aconteceu em 2013, em Ceilândia, mas a decisão do Tribunal do Júri só saiu na semana passada. José Antônio da Silva Júnior foi responsabilizado por homicídio duplamente qualificado por motivo fútil e emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima.

De acordo com a denúncia, José Antônio e outro homem assediaram a mulher que morava com o amigo da vítima. Luan e o colega se desentenderam com a dupla e houve uma discussão. Logo depois, o réu e o comparsa saíram e voltaram em uma motocicleta armados. 

A dupla ficou esperando Luan que, quando caminhava na calçada, foi atingido por seis disparos. Para o Tribunal do Júri, a “agressão era totalmente inesperada” e, na visão dos jurados, “os agressores utilizaram superioridade numérica e uma motocicleta para perseguir a vítima.”

Na avaliação do juiz, a quantidade de disparos “mostra a necessidade de maior reprimenda, assim como as circunstâncias do crime pesam desfavoravelmente ao acusado, dada a própria superioridade numérica que caracterizou o crime cometido.” O juiz ainda ressaltou que o acusado possui condenações criminais transitadas em julgado, algumas por casos anteriores e outras por situações depois do crime.

José Antônio vai cumprir a pena em regime inicial fechado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade