Publicidade

Correio Braziliense

Ibaneis almoça em restaurante onde decidiu se candidatar ao GDF

O governador comeu dobradinha, seu prato preferido no estabelecimento que fica no Lago Norte


postado em 30/12/2018 13:37 / atualizado em 30/12/2018 13:42

Ibaneis, na Quituart: 'Eu disse aos meus colegas que, se não aparecesse ninguém representando esse sentimento, eu seria candidato. E isso aconteceu aqui'(foto: Wallace Martins/CB/D.A Press)
Ibaneis, na Quituart: 'Eu disse aos meus colegas que, se não aparecesse ninguém representando esse sentimento, eu seria candidato. E isso aconteceu aqui' (foto: Wallace Martins/CB/D.A Press)
A dois dias de tomar posse como governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) retornou, neste domingo (30/12), ao local onde a ideia de se candidatar ao Buriti surgiu: um pequeno restaurante do Lago Norte. Foi ali, com um grupo de amigos, que o emedebista tomou a decisão de entrar na disputa, da qual acabou saindo vitorioso. 

"Eu disse aos meus colegas que, se não aparecesse ninguém representando esse sentimento, eu seria candidato. E isso aconteceu aqui, nessa mesa e cadeira", disse Ibaneis, apontando para os móveis que gosta de ocupar sempre que vai ao restaurante Culinária do Sertão, na Quituart. "Começamos nossa história sentindo a cidade, e o sentimento pela eleição veio disso."

Para o almoço deste domingo, assim que recebeu a ligação de Ibaneis avisando que iria, a proprietária da casa, Rosângela Rabello Maciel, 61 anos, a Tia Rô, logo reservou a mesa preferida do futuro governador. Ele almoçou com um grupo de amigos, que incluía a deputada federal eleita Celina Leão (PP).

Tia Rô conta que o cliente assíduo come de tudo, mas tem um amor especial pela dobradinha da casa. Como esperado, ele escolheu para o almoço o prato composto por bucho de porco, feijão-branco, linguiça calabresa e toicinho. 

"Ele é uma pessoa tão simples que eu nem imaginava que era presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) no DF", afirma Tia Rô. De acordo com ela, Ibaneis não faz cerimônia no restaurante. "Quando aqui está uma correria, ele entra, se serve e anota o nome na comanda. Às vezes, gosta de beber um pouco, como tira-gosto", conta. 

Rosângela ainda conta que, em julho, quando começou a ideia de entrar na campanha, o governador pediu a opinião dela sobre a disputa. "Eu olhei para ele e disse que, se ele continuasse sendo uma pessoa simples, certamente seria eleito", lembra. 

Dia começou na feira

Durante a manhã, o governador visitou a feira do Núcleo Bandeirante para fazer compras e também foi a Vicente Pires. Ele destaca que o cargo de governador passa e que, depois de chefiar o Buriti, quer continuar levando a vida simples, como sempre fez. "Essa visita prova que ser eleito não me mudou. Temos que continuar as nossas vidas e governar com responsabilidade", frisa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade