Publicidade

Correio Braziliense

Ibaneis Rocha assina decreto e declara estado de emergência na Saúde do DF

"Temos que banir a corrupção da Saúde do DF", diz Ibaneis ao assinar decreto de emergência


postado em 07/01/2019 11:54 / atualizado em 07/01/2019 12:00

Ibaneis assinou decreto no Hospital de Base do Distrito Federal, na manhã desta segunda-feira(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Ibaneis assinou decreto no Hospital de Base do Distrito Federal, na manhã desta segunda-feira (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
 

O governador Ibaneis Rocha (MDB) assinou na manhã desta segunda-feira (7/1) decreto que declara estado de emergência na saúde do DF. O ato ocorreu no lançamento do programa SOS Saúde no Instituto Hospital de Base. O evento contou com presença de grande parte do primeiro escalão do novo GDF. Ibaneis subiu o tom para falar sobre a corrupção na saúde pública do DF. "Casos de corrupção são inúmeros e minam recursos que a sociedade não tem condições de repor. Temos que banir a corrupção da história da saúde do DF", argumentou.

Com a medida, o governo fica autorizado a adquirir medicamentos e insumos sem licitação, convocar concursados, contratar servidores e estender cargas horárias de trabalho. O decreto se justifica, segundo a equipe do governador, pela gravidade da situação, que podr aumentar o número de mortes no DF.

O novo time da saúde diagnosticou, por exemplo, problemas com o abastecimento de insumos e medicamentos, problemas com pagamentos de fornecedores, deficit de pessoal e fechamentos de leitos em unidades de terapia intensiva (UTIs). "Corrigir a falta desses materiais tão importantes é fundamental para ter um trabalho de impacto inicial e para colocar o atendimento à disposição da sociedade", explicou o secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto. "Fizemos ainda reunião com todas as clínicas cirúrgicas e há necessidade muito grande de que as pessoas sejam reavaliadas dentro de urgência para reorganizar as filas."

O governador Ibaneis Rocha destacou que o decreto deve ter curta duração. "Todos os governos que passaram fizeram isso, mas não deram o passo seguinte. A ideia é que seja efetivamente emergencial. Um choque de gestão para voltar a saúde do DF para a normalidade", disse Ibaneis.

O chefe do Executivo afirmou que o modelo de gestão do Instituto Hospital de Base será levado para todo o DF. "Esse modelo é uma ilha de excelência que tem que ser levado para todo o DF. Mas com transparência nas contas públicas, na contratação, nas compras", argumentou.

Infraestrutura

Mais cedo, o SOS DF Infraestrutura foi lançado no Paranoá. O programa, que faz medidas voltadas para a limpeza e obras de reparo, ocorre atualmente no Pôr-do-Sol e Sol Nascente e Santa Maria, além do Paranoá. O coordenador de Cidades do GDF, Gustavo Aires, conta que a intenção é que, depois das ações iniciais, o SOS passe a ser acionado a partir das demandas de cada região administrativa. "O administrador vai ser responsável por demandar cada necessidade mais específica. Queremos também que cada Administração tenha maquinário suficiente para fazer reparos nas quadras", explicou.  Aires revela ainda que o diagnóstico feito nos primeiros dias de programa é de um cenário pior do que o esperado pela equipe de transição, com muitos problemas encontrados nas ações feitas até agora.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade