Publicidade

Correio Braziliense

Duas delegacias do Distrito Federal voltam a funcionar 24 horas por dia

Primeiras unidades a abrir as portas no esquema de plantão são as do Sol Nascente e do Núcleo Bandeirante. Promessa é que as outras 13 delegacias fechadas durante à noite voltem a funcionar em tempo integral em dois meses


postado em 07/01/2019 21:25 / atualizado em 07/01/2019 21:30

Vice-governador Paco Britto (bege) e o diretor-geral Robson Cândido, comemorando a reabertura integral das delegacias do Núcleo Bandeirante e Sol Nascente(foto: Sarah Peres/Esp. CB)
Vice-governador Paco Britto (bege) e o diretor-geral Robson Cândido, comemorando a reabertura integral das delegacias do Núcleo Bandeirante e Sol Nascente (foto: Sarah Peres/Esp. CB)

A partir desta segunda-feira (7/1), as delegaciais do Núcleo Bandeirante (11ª DP) e do Sol Nascente (19ª DP) voltaram a funcionar 24 horas por dia, bem como aos fins de semana. Segundo o diretor-geral da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o delegado Robson Cândido, a expectativa é que outras 13 delegacias, que fecham as portas às 19h, voltem ao sistema de plantão em cerca de dois meses. Para isso, diz Cândido, os agentes da ativa que não estiverem escalados  para o esquema de plantão poderão se voluntariar para trabalhar, sendo remunerados pelo serviço. 

 

O diretor-geral detalha que a escolha das delegacias do Sol Nascente e do Núcleo Bandeirante foi estratégica: a primeira, pelo número de moradores e, a segunda, porque a população atendida pela unidade, que engloba o Park Way e a Candangolândia, não tinha uma delegacia que lhes oferecesse plantonistas da Polícia Civil. Quem quisesse registrar uma ocorrência deveria procurar a 21ª DP, em Taguatinga Sul. 

 

"Temos um plano operacional que planeja implementar o trabalho voluntário. O nosso cronograma de reabertura conta com isso. Mas podemos estipular que em cerca de dois meses manteremos em tempo integral todas as demais 13 delegacias", afirma o delegado Robson Cândido.  

 

De acordo com o vice-governador do DF, Paco Britto, a próxima reabertura deve ser de outra delegacia em Ceilândia. "Vamos ofertar segurança para a população, assim como saúde e educação. O governador e o secretário de Fazenda, André Clemente, trabalham para realizar o remanejamento de verba para que as delegacias sejam reabertas. Esse dinheiro será utilizado para pagar os agentes voluntários", explica. 

 

O diretor da corporação diz que são necessários 200 policiais em sistema de rodízio para reabrir as 13 delegacias. "O agente de folga poderá se candidatar para trabalhar voluntariamente conforme escala prévia do departamento. Ele tira o plantão de 12 horas e depois será remunerado pelo serviço", esclarece. 

 

Para o presidente do Sindicato dos delegados da Polícia Civil do Distrito Federal, Rafael Sampaio, as alternativas para o pleno funcionamento das delegacias trará benefícios para a população, assim como para o própria corporação e ao governo. 

 

"Com as unidades fechadas, ocorrências deixam de ser registradas. Consequentemente, prejudica as estatísticas do governo, pois se tornam menos confiáveis. Afeta investigações criminais e o relacionamento com a população, que se sente desassistida. Isso interfere diretamente na credibilidade da Polícia Civil", frisa Rafael Sampaio. 

 

Robson Cândido também salienta que há um trabalho entre o governo e o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) para destravar o novo concurso da PCDF. O diretor diz que serão ofertadas 1,8 mil vagas para agentes de polícia, com possível contratação para 2020.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade