Publicidade

Correio Braziliense

SOS Segurança prevê aumento de gratificação à PM e mais delegacias 24 horas

O governador Ibaneis Rocha (MDB) aproveitou o discurso para acusar o ex-chefe do Buriti Rodrigo Rollemberg (PSB) de pedaladas fiscais


postado em 11/01/2019 19:00 / atualizado em 11/01/2019 21:03

Governador Ibaneis Rocha anuncia medidas do SOS Segurança, na Praça do Buriti(foto: GDF/Divulgação)
Governador Ibaneis Rocha anuncia medidas do SOS Segurança, na Praça do Buriti (foto: GDF/Divulgação)
 
O governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou, na tarde desta sexta-feira (11/1), mais uma etapa do SOS DF. Desta vez, o foco foi a segurança pública. Na praça do Buriti, mais de 600 bombeiros e policiais militares, além de dezenas de agentes do Detran e de policiais civis, acompanharam a oficialização programa.
 
Dentre as medidas emergenciais para o setor, Ibaneis Rocha disse que inicialmente injetará R$ 300 milhões para a gratificação de trabalho voluntário das polícias Civil e Militar. Os servidores receberão R$ 400 por trabalho extra realizado em dia de folga.
 
Hoje, apenas os militares podem fazer esse serviço e recebem R$ 300 por hora extra. “Pretendemos levar em torno de 300 policiais às ruas para trazer de volta a sensação de segurança para a população. A previsão é de que seja possível aumentar em 25 mil horas mensais o trabalho da PM."
 
O governador pretende trazer estender a medida a agentes da Polícia Civil. Para isso, é necessário encaminhar Projeto de Lei com a proposta à Câmara Legislativa. "Nosso objetivo é reabrir todas as delegacias do DF em tempo integral”, afirmou.
 
Ibaneis Rocha também garantiu paridade salarial entre as polícias Federal, Civil e Militar. “Criamos uma ordem de serviço com o sindicato de cada uma das categorias para discutirmos e garantirmos esta proporcionalidade”, esclareceu. O prazo é de 15 dias para o lançamento do estudo, que contará com o auxílio do secretário da Fazenda, André Clemente, e do de Segurança, Anderson Torres, na elaboração. 
 
Todas as ações visam garantir a qualidade do serviço de segurança, conforme garantiu o emedebista: “Vivemos um momento em que os cidadãos estão aprisionados e os bandidos, soltos. Vamos dar todo o suporte para a polícia”. 
 

Críticas ao governo anterior 

Durante a sessão solene, Ibaneis Rocha acusou o ex-chefe do Buriti Rodrigo Rollemberg (PSB) de pedalada de R$ 1,1 bilhão nas folhas de pagamento de servidores. 

“Ainda estamos em fase de apuração das contas da gestão anterior. Mas o que estamos encontrando é assustador, como pedaladas de R$ 1,1 bilhão referentes às folhas de pagamento”, afirmou o emedebista. O rombo seria relativo às remuneração de dezembro de 2018. 
 
De acordo com o ex-secretário de Fazenda, Wilson de Paula, toda a folha de pagamento dos servidores foi liquidada em 2 de janeiro. "Não tem fundamento isso que ele (Ibaneis Rocha) está falando. Tivemos problema com os professores, mas estava tudo pronto para ser quitado no dia 3 (de janeiro). O fluxo financeiro deste mês está fluindo e sequer fomos procurados pela equipe de transição. Não há qualquer furo", afirmou.  
 
Colaborou Bruna Lima (Especial para o Correio)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade