Publicidade

Correio Braziliense

Polícia prende mulher que mantinha casa de prostituição na W3 Sul

Ela cobrava diárias de até R$ 20 ou ganhava lucro por programa, que chegava a metade do valor adquirido pelas prostitutas


postado em 11/01/2019 20:53 / atualizado em 12/01/2019 15:45

A suspeita mantinha dois apartamentos para o esquema de prostituição(foto: Divulgação/PCDF)
A suspeita mantinha dois apartamentos para o esquema de prostituição (foto: Divulgação/PCDF)

 

Uma mulher de 46 anos foi presa por manter uma casa de prostituição na 504 Sul. A suspeita cobrava diárias ou porcentagens das prostitutas para elas utilizarem o local. De acordo com investigação da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), o esquema acontecia desde 2013. 

Policiais chegaram até o local após uma denúncia anônima sobre o envolvimento de adolescentes no esquema de prostituição. Para apurar a situação, um agente disfarçado foi até o local. A suspeita tinha dois apartamentos no prédio, o 201 e o 301. Cada um tinha de três a quatro quartos. A entrada era monitorada por câmeras de segurança.

 
 
No local, estavam a administradora da casa e mais nove mulheres, algumas delas, em atendimento. "Não havia nenhum menor de idade, mas realmente constatamos que a mulher administrava um esquema bem organizado de prostituição. Todas foram encaminhadas à delegacia, para que prestassem esclarecimento", afirmou o delegado-adjunto da 1ª DP, João de Ataliba. 
 
As mulheres explicaram que havia dois sistemas de pagamento: diárias que variavam de R$ 20 a R$ 30; ou comissões a cada homem atendido no quarto utilizado. No último caso, as cobranças variavam de 20% a 50% por programa. Policiais também apreenderam celulares e uma cardeneta de anotações.
 
A suspeita acabou presa em flagrante na noite de sexta-feira (12/1) por rufianismo (lucro por meio da exploração de prostituição alheia) e por manter uma casa de prostituição. Somadas, as penas podem chegar a nove anos. 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade