Publicidade

Correio Braziliense

Morre, em Brasília, aos 76 anos, o violoncelista Antônio Guerra Vicente

O músico morreu na madrugada deste domingo, em um hospital particular da cidade. Ele estava internado em decorrência de um câncer


postado em 13/01/2019 13:02 / atualizado em 13/01/2019 14:32

Guerrinha, ao lado do violoncelo e de partituras de obras do pai, José Guerra Vicente(foto: Edilson Rodrigues/CB/D.A Press)
Guerrinha, ao lado do violoncelo e de partituras de obras do pai, José Guerra Vicente (foto: Edilson Rodrigues/CB/D.A Press)
Faleceu, aos 76 anos, o violoncelista Antônio Guerra Vicente, na madrugada deste domingo (13/1), em um hospital particular de Brasília. O músico estava internado desde sexta-feira (11/1), por causa de complicações de um linfoma, câncer que afeta o sistema sanguíneo. Guerra, ou Guerrinha, como era conhecido entre amigos e familiares e colegas músicos, era professor aposentado da Universidade de Brasília (UnB), além de fundador do Quarteto de Brasília. O velório será nesta segunda-feira (14/1).
 
Segundo familiares, ele aguardava exames e uma sessão de quimioterapia. A morte aconteceu abruptamente, sem que pudessem saber o estágio de avanço da doença. Ele havia perdido peso na última semana, o que chamou a atenção dos médicos. 
 
Guerrinha deixa mulher, a violonista Ludmila Vinecka, e dois filhos: o violoncelista da Orquestra do Teatro Nacional Claudio Santoro de Brasília Augusto Guerra Vicente e a professora de linguística da UnB Helena Guerra Vicente.
 
O velório de Guerra será nesta segunda-feira (14), das 10h às 15h, na capela 7 do Cemitério Campo da Boa Esperança da Asa Sul. O sepultamento está marcado para 15h30.

Quarteto de Brasília 

Guerrinha fundou o grupo instrumental de cordas Quarteto de Brasília com a esposa Ludmila, a professora de viola da UnB Glêsse Collet e o ex-spalla e atual regente da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional, Cláudio Cohen. 
 
Com o Quarteto, Guerra colecionou prêmios e turnês internacionais, tendo passado pelos Estados Unidos e por países da Europa e da Ásia. A fama do grupo surgiu a partir do alto nível técnico dos quatro integrantes e de um repertório eclético: compositores clássicos, e alguns flertes com o popular.
 
Antônio é filho de José Guerra Vicente, importante compositor do início do século 20 e um dos fundadores da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 2006, o violoncelista lançou o livro José Guerra Vicente - O compositor e sua obra, uma biografia sobre o pai, contada a partir de escritos feitos pelo próprio José.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade