Publicidade

Correio Braziliense

Foragido por matar mulher em Águas Claras é preso em Luziânia

Vagner Augusto de Laura fugiu após matar Maria da Paz Bruno da Silva a pauladas e facadas. Para cometer o crime, Vagner contou com a ajuda do irmão, Reginaldo, e de outro comparsa conhecido como Catarino


postado em 14/01/2019 20:00 / atualizado em 14/01/2019 20:07

Vagner Augusto de Laura foi preso em Luziânia, quase um ano após o crime. Durante este período em que esteve foragido, ele é acusado de ter matado outras duas pessoas(foto: PCGO/Divulgação)
Vagner Augusto de Laura foi preso em Luziânia, quase um ano após o crime. Durante este período em que esteve foragido, ele é acusado de ter matado outras duas pessoas (foto: PCGO/Divulgação)

A Polícia Civil de Goiás prendeu em Luziânia, nesta segunda-feira (14/1), um foragido da Justiça do Distrito Federal, acusado de matar uma mulher, em via pública, em Águas Claras. Vagner Augusto de Laura estava desaparecido desde o dia do crime, em 15 de fevereiro de 2018, quando, com ajuda do irmão,  Reginaldo Augusto de Laura, e outro comparsa conhecido como "Catarino", agrediu Maria da Paz Bruno da Silva, arrastando-a de joelhos pela pista e dando pauladas e facadas até a morte. 
 
De acordo com a denúncia feita pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), os criminosos teriam atraído a vítima até uma residência sob o pretexto de usar drogas. Ao chegar, a mulher teria desconfiado que se tratava de uma emboscada e tentou fugir. No entanto, os três suspeitos foram atrás dela e a mataram no meio da via pública, na QS5, de Águas Claras. 
 
"A motivação do crime teria sido um desentendimento relacionado a drogas. Vagner era um foragido de alta periculosidade e que, inclusive, é acusado de cometer outros dois homicídios em Minas Gerais, durante este período em que era procurado. Agora ele está à disposição da Justiça", detalhou o delegado-titular da 5ª Delegacia Regional de Polícia – Luziânia, Rodrigo Mendes. 
 
À polícia, Vagner confessou ter matado dois homens debaixo de uma ponte em Oliveira (MG). Ele disse que usou uma maçaneta para golpeá-los, mas alegou ter agido em legítima defesa, versão que foi refutada por agentes policiais mineiros. Quanto ao assassinato de Maria da Paz, o preso não se pronunciou, mas um vídeo feito por uma câmera de segurança que flagrou o crime e testemunhas confirmam a acusação. As imagens não foram divulgadas pela polícia. 
 
Além de Vagner, o irmão, Reginaldo, que participou do crime, já está preso. Segundo a denúncia, Reginaldo também é acusado de matar outras duas pessoas e ocultar cadáver. Já o terceiro suspeito de participar do crime continua foragido. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade