Publicidade

Correio Braziliense

Seis carros foram arrombados em uma semana na 216 Norte

Pelas ruas da quadra, é possível ver cacos de vidro espalhados onde os ladrões arrombaram os veículos. Moradores agora falam em contratar vigia particular


postado em 14/01/2019 19:53 / atualizado em 14/01/2019 22:25

Bruna encontrou o carro com os vidros quebrados e os objetos pessoais revirados. Os ladrões levaram também o estepe do carro(foto: Bruna Pelegio / Arquivo Pessoal)
Bruna encontrou o carro com os vidros quebrados e os objetos pessoais revirados. Os ladrões levaram também o estepe do carro (foto: Bruna Pelegio / Arquivo Pessoal)
Se um carro arrombado em área residencial já deixa a vizinhança com medo, seis em uma única semana choca ainda mais. Foi o que aconteceu na 216 Norte, nos últimos dias. Uma das vítimas, a empresária Bruna Pelegio, 32, ia pegar o carro para trabalhar na manhã de hoje (14/1), quando encontrou o veículo com os vidros estilhaçados e os objetos pessoais revirados em cima dos bancos. “Na semana passada a mesma coisa aconteceu com o meu marido. Nós chamamos a Polícia Militar, mas como o flagrante já tinha passado, só nos restou fazer o boletim de ocorrência junto à Polícia Civil”, relatou.
 
Bruna conta que, depois do susto, conversou com outros moradores da quadra e foi descobrindo que muita gente também já tinha sido vítima. “Nesta semana foram seis casos, mas se for somar o mês todo o número é bem maior. Uma moça já teve o carro arrombado duas vezes só no mês passado”, relatou. Ela conta que o alvo principal dos bandidos são os estepes, mas qualquer objeto de valor também é levado. “Se você for caminhando pela quadra, vai ver que tem caco de vidro espalhado para todo lado”, afirma.
 
Nas ruas da 216 Norte é possível ver cacos de vidros espalhados nos locais onde os ladrões arrombaram os carros(foto: Bruna Pelegio / Arquivo Pessoal)
Nas ruas da 216 Norte é possível ver cacos de vidros espalhados nos locais onde os ladrões arrombaram os carros (foto: Bruna Pelegio / Arquivo Pessoal)
O prédio onde ela mora tem garagem subterrânea, mas ela conta que as vagas são poucas, então muitos moradores precisam parar do lado de fora. Para piorar, o estacionamento fica distante da portaria e algumas vagas estão comprometidas por uma obra em andamento nos edifícios. Os bandidos agem sempre de madrugada. “Estou morrendo de medo de deixar meu carro na rua. Quero entrar em contato com o prefeito da quadra para vermos os casos, fazer uma lista e ir passando para a polícia para ver se encontram um padrão”, disse a empresária. Além disso, os moradores já falam em contratar um vigia para reforçar a segurança.
 
Por nota, a PMDF afirmou que desde um início do ano apenas um chamado do tipo foi feito para a quadra e ressaltou a importância de a população acionar a corporação até mesmo em caso de suspeita de crimes, além de fazer o registro de todas as ocorrências. "O policiamento no local é realizado de forma ininterrupta, principalmente pelas equipes do 3º Batalhão, que, durante o ano de 2018, detiveram 613 autores ou suspeitos de crimes e retiraram 35 armas das ruas da Asa Norte. O patrulhamento é intensificado nos locais mais vulneráveis, com base em estatísticas elaboradas pela Secretaria de Segurança Pública" diz o texto. 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade