Publicidade

Correio Braziliense

Dois anos e meio depois, novo incêndio em garagem do Grupo Amaral

Garagem de ônibus já havia sido consumida pelas chamas em 2016. Bombeiros trabalham para apagar o fogo e evitar que se espalhe para casas próximas


postado em 15/01/2019 00:03 / atualizado em 15/01/2019 08:28

Bombeiros trabalham para que o fogo não se alastre para as cerca de 15 casas vizinhas(foto: Carlos Magnum / Arquivo Pessoal)
Bombeiros trabalham para que o fogo não se alastre para as cerca de 15 casas vizinhas (foto: Carlos Magnum / Arquivo Pessoal)
Um incêndio de grandes proporções tomou conta da garagem de ônibus do Grupo Amaral, na noite desta segunda-feira (14/1). O lugar já havia sido consumido pelas chamas em 2016, quando mais de 200 ônibus foram destruídos. No lote, localizado no Paranoá, ainda estão alguns ônibus e também ficam 15 casas que só não foram atingidas porque os moradores conseguiram chamar o Corpo de Bombeiros a tempo.
 
O professor Carlos Magnum, 27, morador de uma das residências, fez vídeos em que é possível ver os bombeiros atuando no combate. “Os moradores estão preocupados, mas todos foram isolados. Tudo começou por volta de 22h40. Um vizinho viu o fogo já alto e saiu acordando todo mundo”, relatou.
 
O corpo de bombeiros deslocou 18 carros, mas os tanques de combate a incêndio também foram acionados. Segundo a corporação, aproximadamente o fogo atingiu 15 carcaças de veículos. O incêndio foi apagado por volta das 3h18 desta terça-feira (15/1), totalizando 5h26 de operação e 40 mil litros de água para combater as chamas.

O primeiro caso

À época do primeiro incêndio, o DFTrans informou que 404 ônibus estavam na garagem, sendo 75 sucatas. O dono do grupo Amaral, o ex-senador Valmir Amaral, chegou a acusar o GDF de irresponsabilidade pois no espaço cabiam apenas 180 carros. “Lá, colocaram ônibus das minhas cinco empresas. Eles apreenderam meus coletivos e arrastaram minhas cinco empresas para a falência”, disse o empresário ao Correio. 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade