Publicidade

Correio Braziliense

Apesar de acordo, greve dos funcionários de limpeza hospitalar continua

A empresa responsável prometeu quitar os salários e tíquetes-alimentação até sexta (18/1), mas a categoria decidiu retomar os trabalhos apenas após o recebimento. Ao contrário dos funcionários, a empresa garantiu à Secretaria de Saúde que os serviços serão normalizados na quinta


postado em 16/01/2019 20:16 / atualizado em 16/01/2019 23:06

Funcionários da limpeza da rede pública de saúde só devem voltar ao serviço após quitação de dívidas(foto: Sindiserviços-DF/Divulgação)
Funcionários da limpeza da rede pública de saúde só devem voltar ao serviço após quitação de dívidas (foto: Sindiserviços-DF/Divulgação)

Os hospitais públicos e postos de saúde em Samambaia, Taguatinga, Ceilândia, Brazlândia e o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), no Plano Piloto, vão continuar sem os serviços de limpeza e conservação nesta quinta-feira (17/1). Mesmo após a empresa Ipanema, responsável pelos terceirizados, firmar acordo e se comprometer a pagar os vencimentos atrasados até sexta-feira (18/1), a categoria decidiu que só voltará às atividades após o recebimento. 

Desde segunda-feira, os funcionários da empresa cruzaram os braços, já que o pagamento dos salários e tíquetes-alimentação de dezembro do ano passado não foi feito. O prazo máximo para quitar a dívida foi decidido em reunião entre Beatriz Gauterio de Lima, diretora executiva do Fundo de Saúde do DF, e Maria Isabel Caetano dos Reis, presidente do sindicato que representa os trabalhadores terceirizados, o  Sindiserviços-DF. Porém, sob a justificativa de que os atrasos nos pagamentos são constantes e ocorrem há anos, os trabalhadores se comprometeram a voltar ao serviço somente quando, de fato, recebessem. 

Durante a reunião, a diretora do Fundo de Saúde afirmou que a empresa Ipanema não recebeu as parcelas do contrato com o GDF referentes a outubro e novembro, o que explica a dificuldade de repasse. A previsão é de que parte do valor seja quitado ainda esta semana e o restante, na próxima.

A representante do Sindiserviços aproveitou a ocasião para apontar a necessidade de aumentar o efetivo, argumentando que o quadro insuficiente de funcionários apresenta sérios riscos para a higienização adequada das redes de saúde. Ainda não há previsão de novas contratações.
 
Ao Correio, a Secretaria de Saúde afirmou que já efetuou o pagamento para a empresa Ipanema, referente as faturas do mês de outubro e que apenas uma pequena parte dos funcionários não voltou trabalho, após o acordo firmado. Informou, ainda, que a empresa, ao contrário do que dizem os funcionários, garante que os serviços devem ser normalizados na quinta-feira. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade