Publicidade

Correio Braziliense

VÍDEO: sangrando, homem desmaia à espera de atendimento no hospital do Gama

De acordo com pessoas que também esperavam para ser atendidas, os vigilantes do local se negaram a socorrer o homem


postado em 17/01/2019 13:00 / atualizado em 17/01/2019 13:25

Pacientes que estavam no local tentaram procurar documentos e contatos no celular do homem, mas não encontraram informações sobre ele(foto: Divulgação)
Pacientes que estavam no local tentaram procurar documentos e contatos no celular do homem, mas não encontraram informações sobre ele (foto: Divulgação)
O vídeo de um homem ferido, caído na porta do Hospital Regional do Gama (HRG), na noite dessa quarta-feira (16/1) viralizou e causou revolta nas redes sociais. Ele estava com um sangramento na cabeça e, segundo outras pessoas que também aguardavam atendimento no local, ninguém da unidade de saúde prestou socorro à vítima, apesar dos apelos de outros pacientes.

Indignada com a situação, a cabeleireira Miriam de Sousa, 57 anos, filmou tudo. Ela diz que assim que chegou ao HRG, por volta das 20h45, o rapaz já estava caído no chão, desacordado. A mulher, com o apoio de um grupo de pessoas, pedia a ajuda dos vigilantes, que, segundo ela, negaram socorro. 
 
 

"Eles diziam que não podiam mexer nele. Um enfermeiro chegou a ir lá fora, viu a situação, mas disse que não podia fazer nada e o rapaz ficou lá caído. Não podiam pegar uma cadeira de rodas? Não podiam apressar o atendimento dele?", questionou a cabeleireira. 

Miriam conta, ainda, que algumas pessoas procuraram, nos bolsos da vítima, algum documento que identificasse o rapaz, e o contato de algum familiar no celular. Apesar das tentativas, nenhuma informação foi obtida. "Acabei tendo que ligar para a polícia, . Eles ficaram de ir até lá, mas como logo fui chamada para fazer meu exame não sei se foram", disse.

Assim que saiu do consultório, por volta das 22h30, a mulher disse que o rapaz não estava no local. A poça de sangue que se formou enquanto o homem estava jogando no chão também já havia sumido. Foi lavada. "Não sabemos nem se ele foi atendido. Isso é uma vergonha. A gente chega no hospital e dizem que só estão atendendo pessoas com risco de morte. Chegar lá e ver aquela situação foi triste", completou.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, a supervisão de segurança do Hospital Regional do Gama informou que, por volta das 19h45 de quarta-feira, M.S.C. dirigiu-se à portaria central que fica distante da emergência e que ele apresentava sinais de embriaguez. Ele teria caído quando caminhava no corredor externo da unidade.

Segundo a pasta, os vigilantes foram informados e fizeram contato com o setor de ambulâncias do HRG, enfermaria de triagem do pronto-socorro e chefia de emergência, além do Corpo de Bombeiros e Samu, para providenciar a remoção para a emergência. M.S.C , ainda de acordo com a Saúde, foi removido e atendido no pronto-socorro de cirurgia geral. Ele tinha corte superficial no queixo, onde foi feita a sutura, recebeu medicação com soro, teve alta hospitalar às 23h38 e foi embora acompanhado pela esposa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade