Publicidade

Correio Braziliense BAFÔMETRO

Motorista alcoolizado é parado pela PM duas vezes em menos de duas horas

Condutor, que não teve o nome revelado, chegou a chamar motorista de aplicativo para conduzir o carro, mas pegou a direção e acabou parado em outra blitz. A multa chega a R$ 8,8 mil


postado em 19/01/2019 12:24 / atualizado em 19/01/2019 12:38

Servidor público se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas foi multado duas vezes(foto: André Violatti/Esp. CB/D.A Press)
Servidor público se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas foi multado duas vezes (foto: André Violatti/Esp. CB/D.A Press)
Um motorista alcoolizado foi pego duas vezes em blitz da Polícia Militar na madrugada deste sábado (19/1). A primeira delas em Águas Claras e, logo em seguida, no posto da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), localizado na Estrutural. Ele foi um dos 389 condutores autuados por alcoolemia entre a madrugada de quinta-feira (17/1) e de hoje (19/1).  
 
O homem, que é servidor público e não teve o nome revelado, tem 48 anos. Ele foi parado pela primeira vez por volta de 1h da manhã. Segundo informações da PM, ele apresentava sintomas de embriaguez, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro. Então, teve o documento de habilitação recolhido e pediu que um motorista de aplicativo fosse ao seu encontro para conduzir o carro dele e evitar que o veículo fosse levado para o depósito.

Porém, 1h30 mais tarde, ele acabou flagrado, de novo ao volante, dessa vez em uma barreira do Batalhão de Polícia Rodoviária da PM, localizado na Estrutural. De acordo com a Polícia Militar, ele se esquivou novamente do teste do bafômetro. Contou para os militares que havia sido parado há pouco tempo na operação montada em Águas Claras e pediu para ser liberado desta vez.

Diante da recusa dos militares, o servidor público ainda tentou dar uma carteirada, dizendo ser colega de carreira da segurança pública. Apesar das tentativas, ele foi multado novamente. Dessa vez por duas infrações: embriaguez ao volante e por não portar a carteira de habilitação — que foi recolhida na primeira blitz.
 
Novamente, ele contou com a ajuda de um condutor habilitado para que o veículo não fosse recolhido. Não se sabe dizer se foi outro motorista de aplicativo, ou uma pessoa conhecida. E nem se, dessa vez, ele chegou em casa no banco do carona. 
 
O descumprimento da Lei Seca custará caro ao condutor. A multa por dirigir sob o efeito de álcool é de R$ 2.934. Quem é reincidente da Lei Seca em menos de 1 ano, paga o valor em dobro. Portanto, o servidor público terá um prejuízo de cerca de R$ 8,8 mil pela infração à lei seca e por dirigir sem habilitação (R$ 88,38). 

Balanço

Na rua 31 Norte, em Águas Claras, foram 30 notificações por embriaguez ao volante e seis veículos removidos ao depósito do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) e um motorista que fez o teste do bafômetro, foi preso na madrugada de sábado (19/1). Em dos dias de operação de quinta-feira (17/1) até a madrugada de hoje, somente a PM multou 389 pessoas sob o efeito de álcool. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade