Publicidade

Correio Braziliense

Homem é condenado por tentativa de feminicídio de ex-companheira no Itapoã

Tribunal do Júri do Paranoá condenou o réu a cinco anos e quatro meses de prisão por esfaquear a ex-companheira


postado em 22/01/2019 20:55 / atualizado em 22/01/2019 20:56

O réu não poderá recorrer em liberdade(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
O réu não poderá recorrer em liberdade (foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

O Tribunal do Júri do Paranoá condenou um homem a cinco anos e quatro meses de prisão por tentativa de feminicídio. Ele esfaqueou a ex-companheira em 21 de abril de 2017, no Itapoã. Na ocasião, ele procurou a mulher para tentar reatar o relacionamento, mas ela se recusou. Durante o julgamento, na quinta-feira (17/1), o réu confessou a autoria do crime. Ele não poderá recorrer em liberdade. 

 

Previsto na legislação desde 2015, com a Lei nº 13.104, que alterou o Artigo 121 do Código Penal, o assassinato de uma pessoa cometido por razões da vítima ser do gênero feminino com motivos torpes de ódio, desprezo ou sentimento de perda do controle ou de "propriedade" sobre mulheres é caracterizado como feminicídio.

 

No Brasil, de acordo com o Atlas de Violência 2018, organizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 10 anos, a taxa de homicídios de mulheres negras aumentou 15,4%. Segundo ranking realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o DF é uma das regiões em que há uma das maiores taxas de feminicídios no país: 6,86 óbitos por 100 mil mulheres.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade