Publicidade

Correio Braziliense

Confira os locais e os horários do carnaval de rua do DF em 2019

GDF vai criar polos específicos, chamados Setores Carnavalescos, para o desfile dos 55 blocos licenciados. Festas organizadas por eles deverão ter duração máxima de sete horas, incluindo uma delas reservada à dispersão, no fim do evento


postado em 24/01/2019 06:00 / atualizado em 23/01/2019 22:52

Bloco Divinas Tetas costuma levar uma multidão de amantes do tropicalismo ao Setor Bancário Norte: região terá um dos cinco pontos de apoio (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press )
Bloco Divinas Tetas costuma levar uma multidão de amantes do tropicalismo ao Setor Bancário Norte: região terá um dos cinco pontos de apoio (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press )


Além do limite de horário, adotado no ano passado, o carnaval de rua de Brasília terá setores estabelecidos para o desfile dos blocos. A escolha dos espaços é opcional, porém, a Secretaria de Cultura montará estruturas fixas nos pontos oficiais, chamados de Setores Carnavalescos. Com a iniciativa, a pasta pretende organizar a concentração de foliões e facilitar a volta de todos para casa.

Esses pontos estratégicos ficam nos setores Comercial Sul e Bancário Norte, ao lado do Estádio Nacional Mané Garrincha, no Taguaparque (em Taguatinga) e na Vila Buritis (Planaltina). No Mané Garrincha, o polo será montado no anel externo da arena. O local abrigará blocos que costumam arrastar multidões, como o Raparigueiros e Baratona, que antes desfilavam pelo Eixão. Os Setores Carnavalescos vão contar com banheiros, segurança e atendimento médico, segundo o GDF. O efetivo da polícia será reforçado para garantir a segurança dos participantes.

Outra novidade deste ano é que a festa organizada por um bloco vai poder durar, no máximo, sete horas. No entanto, os últimos 60 minutos deverão ser destinados à volta para casa do público. De acordo com o secretário de Cultura, Adão Cândido, essa medida permitirá que os foliões não percam o horário do transporte público e uma melhor atuação das forças de segurança da dispersão da plateia. No ano passado, quando não houve prazo estipulado, foliões reclamaram que policiais militares usavam gás de pimenta para que as pessoas fossem embora.

As festividades também terão horário estabelecido para ocorrer, por causa da poluição sonora. Nas zonas residenciais, os foliões poderão permanecer até as 20h; nas zonas comerciais, até 22h; e nos Setores Carnavalescos Sul e Norte e no Mané Garrincha, até meia-noite. “Os ambulantes também deverão ir embora com o público, na hora em que começa a dispersão”, explicou Adão Cândido.

O Governo do Distrito Federal investirá R$ 3,6 milhões no carnaval de 2019. No entanto, o valor total para a realização da festividade ficará em R$ 4 milhões. A Secretaria de Cultura conta com a iniciativa privada para completar o montante. Em 2018, o GDF investiu R$ 5 milhões e recebeu um patrocínio de R$ 1,4 milhão, em uma parceria firmada com a Ambev.

Demora

Mesmo com metade dos blocos cadastrados pela Secretaria de Cultura, o novo governo espera 2 milhões na folia oficial, quase três vezes mais público do que em 2018. No ano passado, quando 136 agremiações desfilaram pelas ruas de Brasília, 746 mil pessoas aproveitaram os blocos catalogados pela pasta. Para este ano, 72 agremiações se inscreveram para captar recursos, mas só 55 foram habilitadas, após apresentar todos os documentos necessários.

No edital, realizado no governo anterior, de Rodrigo Rollemberg (PSB), o GDF destinou R$ 3,6 milhões para a realização da festa. Cerca de R$ 1,6 milhão vai para os blocos. No entanto, as agremiações habilitadas ainda não receberam o dinheiro. À frente do Suvaco da Asa, que vai desfilar em 16 de fevereiro, Pablo Amorim, 45 anos, reclama do atraso. “Fomos contemplados com o edital do ano passado e estamos aguardando o repasse. Sabemos que o nosso processo está em andamento, mas ainda não tem data para que a verba saia”, conta.  O Suvaco da Asa atraiu cerca de 40 mil pessoas em 2018.

O secretário de Cultura alega que parte da organização do carnaval de 2019 foi realizada pela antiga gestão. “Este carnaval será um processo de aprendizado, mas temos compromisso de entregar uma boa festa à população”, afirmou Adão Cândido. De acordo com ele, o repasse para os blocos será realizado “nos próximos dias”.

Transporte

Durante o carnaval, que vai de 2 a 5 de março, o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) disponibilizará uma linha de ônibus que circulará entre os Setores Carnavalescos. A condução levará os foliões de um bloco para outro e a passagem custará R$ 3,5. O funcionamento do Metrô também será ampliado para a meia-noite e haverá o aumento na frota de ônibus.

A Secretaria de Cultura também firmou parceria com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) para diminuir os impactos nas ruas. Os órgãos vão trabalhar juntos para diminuir as consequências da poluição sonora e com a redução de lixos nas ruas.

R$ 4 milhões
Valor que o Governo do Distrito Federal vai destinar para os desfiles dos blocos em 2019

Centro de atendimento
Nos setores definidos pelo governo, o público contará com o Centro de Atendimento ao Folião, que terá equipes das secretarias da Mulher, Saúde e Juventude. Esses pontos fornecerão serviços como campanhas de combate à violência doméstica, conscientização sobre consumo de álcool e realização de testes rápidos de HIV. Profissionais do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar também vão monitorar os blocos.

Festa programada

Confira os locais indicados aos blocos:

Setor Sul: Setor Comercial Sul
Setor Norte: Praça dos Prazeres (201 Norte)
Centro: Estádio Mané Garrincha
Taguatinga: Taguaparque
Planaltina: Vila Buritis

Horários para o encerramento da festa:

Em quadras residenciais: 20h
Em quadras comerciais: 22h
Setores carnavalescos Norte e Sul e Mané Garrincha: 0h

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade