Publicidade

Correio Braziliense

Unidade Básica de Saúde de Taguatinga fecha para reforma

A interdição deve durar 15 dias e é necessária para que sejam feitos reparos no teto da unidade


postado em 28/01/2019 19:00 / atualizado em 28/01/2019 19:04

As UBSs n° 1 e n° 6 vão abarcar o atendimento da UBS n° 2(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
As UBSs n° 1 e n° 6 vão abarcar o atendimento da UBS n° 2 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 

Unidade Básica de Saúde (UBS) n°2, localizada na Praça do Bicalho, em Taguatinga, está de portas fechadas para atendimento a qualquer paciente. A interdição, que começou nesta segunda-feira (28/1), deve durar 15 dias, período em que a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) vai realizar uma reforma no teto do prédio. Por dia, o local recebe 480 pacientes, que serão realocados para outras unidades próximas, garante a pasta.  

 

"Para que não haja  prejuízo ao atendimento dos cidadãos, um plano de contingência foi elaborado para que as unidades 1 e 6 (também em Taguatinga) absorvam a demanda", informou a secretaria, em nota. As UBSs ficam na QNG AE 18/19 e no Setor C Sul AE 1, respectivamente. As ações serão acompanhadas pela Superintendência da Região de Saúde Sudoeste, que administra as ações de saúde nas áreas de Taguatinga, Vicente Pires, Águas Claras, Recanto das Emas e Samambaia. 

 

UBS n° 6 de Taguatinga(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
UBS n° 6 de Taguatinga (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 

  

Composta por 69 servidores como médicos da família, enfermeiros, agentes comunitário de saúde, técnicos de enfermagem e de saúde bucal, a UBS n° 2 atua na região norte de Taguatinga. Os servidores e equipamentos serão realocados para suprir a demanda de pacientes, enquanto na unidade que passa por reformas, apenas uma equipe de plantão ficará no local para orientar os usuários sobre os locais em que poderão ser recebidos.  

 

No Distrito Federal existem 167 Unidades Básicas de Saúde que recebem, principalmente, casos de atenção primária. Mais conhecidas como centros ou postos de saúde, são a porta de entrada para o paciente. Após a avaliação nas UBSs, havendo necessidade de atendimento especializado ou emergência, o usuário é encaminhado para policlínicas e hospitais mais próximos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade