Publicidade

Correio Braziliense

Incêndio na 310 Norte foi feminicídio, diz delegado responsável pelo caso

A mulher, Veiguima Martins, 56, morta no quarto, tinha pelo menos cinco perfurações de faca. O marido e suspeito do crime, José Bandeira da Silva, 80, foi socorrido, mas também não resistiu


postado em 30/01/2019 12:43 / atualizado em 30/01/2019 21:25

Crime aconteceu no quarto andar do Bloco A da 310 Norte(foto: Alan Rios/Esp. CB/D.A Press)
Crime aconteceu no quarto andar do Bloco A da 310 Norte (foto: Alan Rios/Esp. CB/D.A Press)

O delegado-chefe da 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) confirmou que o incêndio na 310 Norte foi um feminicídio. A mulher, Veiguima Martins, 56, morta no quarto, tinha pelo menos cinco perfurações de faca pelo corpo. Inicialmente, a suspeita é de que ela teria morrido carbonizada.

As chamas começaram de madrugada. O Corpo de Bombeiros foi até o local por volta das 5h e conseguiu retirar o marido dela, José Bandeira da Silva, 80, suspeito de cometer o crime, mas ele morreu após 50 minutos de massagem cardiorrespiratória. O fogo atingiu ao menos três cômodos do apartamento no quarto andar do Bloco A.

Todo o edifício foi evacuado durante o combate às chamas. Um dos moradores acordado pelo Corpo de Bombeiros foi o médico Rodolfo Duarte, 37. "Acordei bastante assustado, só deu tempo pegar o cachorro, o celular e descer. Todos os moradores foram para baixo do prédio, e só quando cheguei lá é que comecei a processar as informações”, relatou ao Correio.

Um dos porteiros do prédio, que não quis se identificar, disse que a mulher tinha filhos de um outro relacionamento, que constantemente a visitavam. Por volta das 8h, peritos da Polícia Civil chegaram para levantar pistas que possam elucidar os fatos. O caso será investigado pela 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade