Publicidade

Correio Braziliense

Suspeito de estupro é preso depois de ser linchado no Paranoá

O homem foi reconhecido pela vítima, uma criança de 12 anos. A informação gerou revolta e populares resolveram agredir o homem. Polícia ainda trabalha para identificar os responsáveis


postado em 30/01/2019 23:10

Na delegacia, suspeito não quis se pronunciar(foto: TV Brasília/ Reprodução)
Na delegacia, suspeito não quis se pronunciar (foto: TV Brasília/ Reprodução)

O homem linchado após uma criança de 12 anos indicá-lo como autor do estupro contra ela foi preso nesta quarta-feira (30/1). Ele teve vários ossos da face quebrados e precisou ser levado ao Hospital de Base devido à possibilidade de ter sofrido um traumatismo craniano. Assim que recebeu alta médica, foi detido por agentes da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá). 

O crime de estupro aconteceu em 30 novembro de 2018. Segundo o depoimento da vítima, o homem teria a atraído para perto do carro dele em busca de informação e a jogou no banco de trás. "O relato leva a crer que o suspeito colocou algo no rosto dela para que desmaiasse, já que ela não lembra do percurso, só de acordar em um parque, com as calças abaixadas e as dele também", afirmou a delegada responsável pelo caso, Jane Klébia. 

A informação do abuso só chegou à polícia no último dia 24, depois que a menina se abriu para os familiares. A partir daí as investigações começaram a ser feitas. No entanto, na tarde de terça-feira (29/1), a vítima teria reconhecido o homem em uma praça pública. Desesperada e chorando muito, contou aos pais. A notícia teria se espalhado pela comunidade, que partiu para a agressão. 

"As características batem com a discrição da vítima, assim como o modelo do carro que o suspeito dirigia. As avaliações comportamentais, reação da vítima, dentre outros elementos serviram como prova para o mandado de prisão", disse a delegada. O homem será indiciado por estupro a vulnerável e pode pegar de cinco a 15 anos de prisão. Agora a delegacia trabalha para identificar os responsáveis pela agressão contra o suspeito, que podem responder por lesão corporal ou tentativa de homicídio. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade