Publicidade

Correio Braziliense

Farmácia de alto custo está sem estoque de medicamentos para epilepsia

Secretaria já abriu processo de licitação de compra, mas não há data para a chegada


postado em 04/02/2019 20:31 / atualizado em 04/02/2019 20:31

(foto: Lucas Pací­fico/CB/D.A Press)
(foto: Lucas Pací­fico/CB/D.A Press)

O medicamento utilizado para o tratamento de epilepsia e quadros convulsivos, de nome Vigabatrina, está em falta na farmácia de alto custo. Há cerca de dois meses que a distribuição está suspensa nas três unidades: Asa Sul, Ceilândia e Gama. 

Na rede particular de farmácias, o medicamento custa cerca de R$ 260, uma caixa com 60 comprimidos. A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que foram abertos dois processos para a compra do Vigabatrina, um deles em regime emergencial. Entretanto, não há prazo definido para a chegada em estoque.

A interrupção do uso do medicamento deve ser realizada de forma gradual, já que a imediata suspensão do uso pode levar o paciente a apresentar convulsões e o risco do agravamento da doença. Ele é comumente utilizado no tratamento de Síndrome de West, uma doença rara que causa crises epiléticas frequentes e, normalmente, manifestada nos primeiros meses de vida do bebê até o primeiro ano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade