Publicidade

Correio Braziliense

Polícia apura morte de morador de rua em operação de limpeza em Ceilândia

Segundo administrador da cidade, o deputado e delegado Fernando Fernandes, motorista que operava o trator fez o teste do bafômetro e não estava alcoolizado


postado em 05/02/2019 15:37 / atualizado em 05/02/2019 16:08

Morador de rua dormia no interior de um sofá abandonado em meio ao entulho(foto: Administração de Ceilândia/ Divulgação)
Morador de rua dormia no interior de um sofá abandonado em meio ao entulho (foto: Administração de Ceilândia/ Divulgação)

A 15ª Delegacia de Polícia apura as circunstância da morte de um morador de rua, em Ceilândia, atropelado durante uma operçarão de limpeza da cidade promovida pela Administração Regional. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o operador de máquinas, que tem 48 anos, juntava o lixo que seria retirado do terreno baldio, quando a pá mecânica atingiu Eduardo de Souza Lopes, 47, que dormia no interior de um sofá abandonado em meio ao entulho.

   

Eduardo chegou a ser transportado ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC) pelos bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. O caso aconteceu na manhã de segunda-feira (4/2), na QNM 8, em frente ao Posto de Saúde. 

 

Em nota, o administrador de Ceilândia, o deputado e delegado Fernando Fernandes, lamentou o ocorrido. Ele informou ainda que perícia da Polícia Civil foi acionada e o operário submetido ao teste do bafômetro, que teria dado negativo para a presença do álcool.

 

Ainda de acordo com Fernando Fernandes, a vítima foi identificada. "Ele é usuário de drogas e possui várias passagens de tráfico de drogas, uso de substância entorpecente e ameaças aos comerciantes da região". Ele encerra a nota pedindo a população para não jogar móveis e lixos nas ruas. Em janeiro, mais de 300 sofás e colchões foram retirados das avenidas de Ceilândia, fora uma grande quantidade de entulhos, cerca de 30 caminhões/dia. Esses objetos são perigosos, inflamáveis e, também, são criadouros dos mosquitos transmissores de doenças, ratos e escorpiões. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade