Publicidade

Correio Braziliense

Hospital realiza parto de menina que não sabia da gravidez

A mãe, de 17 anos, procurou a instituição para um teste de gravidez. Durante o procedimento, acabou entrando em trabalho de parto


postado em 06/02/2019 16:34 / atualizado em 06/02/2019 20:40

(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
A equipe de profissionais do Hospital Regional do Gama (HRG) precisou fazer um parto inesperado, na manhã desta quarta-feira (6/2). A operação ocorreu após uma jovem de 17 anos pedir um teste de gravidez na instituição. Durante o procedimento, a menina entrou em trabalho de parto. 

O parto foi do tipo natural e atendido por um obstetra, um pediatra, uma enfermeira e dois residentes. O bebê estava com idade gestacional de aproximadamente sete meses e nasceu com 1,05kg. Como a mãe não tinha conhecimento da gravidez, o pré-natal, acompanhamento da situação da gestação, não foi feito. 

Após a operação, a criança foi encaminhada para a Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal, com quadro clínico delicado. A mãe foi levada para o centro obstétrico. Estão em observação por especialistas do hospital. 

Gravidez na adolescência

 
De acordo com dados da Secretaria de Saúde, das 35.647 crianças nascidas de janeiro a novembro, 4,2 mil (11,78%) são filhas de mães de 10 a 19 anos, ou seja, a cada dia, o DF registrou o nascimento de 12 bebês de crianças e adolescentes. No Brasil, o levantamento mais recente do Ministério da Saúde é de 2017 — a taxa de mães nessa faixa etária corresponde a 16,4% dos 2,9 milhões de nascidos vivos no ano passado.


Amparo médico
 

No sistema público de saúde é disponibilizado o serviço de pré-natal. A mãe pode procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima e dar entrada no pedido. Lá, são feitos exames de sangue, urina, ultrassonografia transvaginal, sorologias de hepatite, HIV, sífilis e outras doenças. 

Também é oferecido, no Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (Nasf-AB), atendimento psicológico tanto para a gestante, como para a família e o pai da criança. 


Campanha

 
A Secretaria de Saúde do Distrito Federal promove, desde 1º de fevereiro, a Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência. O período, instituído nacionalmente pelo Projeto de Lei nº 512/2011, é destinado à disseminação de informações sobre medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução da incidência da gravidez na adolescência.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade