Publicidade

Correio Braziliense

Polícia prende três suspeitos de desviar dinheiro de contas bancárias no DF

Após obter dados das contas bancárias, os suspeitos costumavam transferir o dinheiro para terceiros e, só depois, se apossar dos valores


postado em 07/02/2019 14:23 / atualizado em 07/02/2019 14:27

(foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)
(foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)
Agentes da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf) prenderam três homens acusados de desviar dinheiro de contas bancárias de terceiros. A suspeita dos policiais é a de que eles conseguiam dados por meio da internet e realizavam transferências das contas das vítimas. A estimativa é que eles tenham lucrado mais de R$ 40 mil com o golpe.  

A primeira prisão aconteceu na segunda-feira (4/2), em Ceilândia. Elton Jhon Silva Lopes, 35 anos, foi preso em flagrante no momento em que se preparava para realizar um saque. Ele havia desviado R$ 10 mil de uma vítima, e os agentes o localizaram no momento em que tentava retirar R$ 2 mil em uma agência.  

De acordo com o delegado à frente do caso, Wisllei Salomão, Elton transferia o valor da conta da vítima para um terceiro, que realizava o repasse para ele. Essa pessoa ainda não foi identificada pela corporação. "Vamos continuar as investigações para apontar os envolvidos", disse.  

Ainda segundo o investigador, a vítima não percebeu que teve esse valor debitado da conta e a própria agência bancária acionou a polícia, que iniciou as investigações. No entanto, os agentes ainda não conseguiram identificar como o suspeito conseguiu chegar até os dados bancários.  

Duas outras prisões 

Na quarta-feira (6/2), os policiais prenderam mais dois homens suspeitos de cometer o mesmo crime. Gilvanilson Santos Barros, 28 anos, e Mauro Júnior Marques Feitosa, 29, desaviaram R$ 29 mil de outra vítima. Eles foram detidos no momento em que retiravam R$ 6 mil em uma agência em Taguatinga.  

Os investigadores suspeitam que os três criminosos tenham ligação. "A forma de agir deles era muito parecida, e o crime ainda aconteceu no mesmo banco, mas em agências diferentes", comentou o delegado Salomão. Agora, os policiais continuarão trabalhando para identificar se os suspeitos lesaram mais vítimas e se há mais pessoas envolvidas.  

Wisllei aconselha que quem realiza movimentações financeiras on-line fique atento. "É importante que as pessoas tenham antivírus nos computadores e tomem cuidado com e-mails fraudulentos", aconselhou.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade