Publicidade

Correio Braziliense

Justiça condena 30 pessoas acusadas de fraude na FAP-DF

Entre os condenados está o ex-presidente da instituição, Renato Caiado Rezende


postado em 11/02/2019 15:23 / atualizado em 11/02/2019 20:04

A suspeita de fraude refere-se ao Edital nº 9 de 2012, que pretendia selecionar projetos de pesquisa para desenvolvimento tecnológico(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
A suspeita de fraude refere-se ao Edital nº 9 de 2012, que pretendia selecionar projetos de pesquisa para desenvolvimento tecnológico (foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
A Promotoria de Justiça de Tutela das Fundações e Entidades de Interesse Social (PJFeis) conseguiu a condenação de 30 réus denunciados no esquema de fraude da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF). Entre os sentenciados está o ex-presidente da instituição, Renato Caiado Rezende. A fraude ocorreu no Edital 9/2012, em que bolsistas “selecionados” sabiam que seriam agraciados pelo benefício no setor de pesquisas por mera indicação política. prejudicando os demais concorrentes. 

O ex-deputado distrital Cristiano Araújo também foi denunciado pelo esquema. A ação penal contra ele tramitou no Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. No entanto, o feito foi declinado para o primeiro grau e encontra-se em fase de instrução.

O caso


Em junho de 2012, a FAP-DF publicou o edital nº9/2012, que pretendia selecionar projetos de pesquisa para desenvolvimento tecnológico de microempresas, empresas de pequeno porte e empreendedores individuais do Distrito Federal.  Ao todo, seriam concedidas 21 bolsas, com valores entre R$ 2,5 mil a R$ 6 mil mensais, por 12 meses. O resultado da seleção foi publicado em 6 de agosto do mesmo ano, com a divulgação dos candidatos classificados.

Renato Caiado e pessoas de sua confiança na instituição teriam idealizado o processo seletivo com o intuito de contratar os candidatos que lhe conviessem, com recursos públicos. Todo o processo foi realizado buscando dar aparência de legalidade nas escolhas e contratações.
 
 
Com informações do MPDFT 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade