Publicidade

Correio Braziliense

Rapaz de 19 anos é preso por tentativa de feminicídio; vítima tem 17

Segundo a Polícia Civil, o acusado teria abordado a garota em uma festa para os dois "ficarem". Irritado com a resposta negativa, ele atropelou a jovem e atirou contra ela


postado em 12/02/2019 09:38 / atualizado em 12/02/2019 12:07

Homem foi preso um dia depois de ter atirado na jovem que se recusou a ficar com ele em uma festa(foto: Divulgação/PCDF)
Homem foi preso um dia depois de ter atirado na jovem que se recusou a ficar com ele em uma festa (foto: Divulgação/PCDF)
A Polícia Civil prendeu um jovem de 19 anos por tentativa de feminicídio em Planaltina. O jovem é acusado de atropelar e atirar em uma garota de 17 anos após ela ter se negado a ficar com ele em uma festa. 

O caso aconteceu no último domingo (10/2), na Vila Buritis, em Planaltina. Os dois estavam no evento por volta das 23h30, e testemunhas viram as aproximações dele e negativas dela. Fabrício Paiva, delegado-chefe da 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina), detalhou que ele se irritou com o "fora" e premeditou um feminicídio.

"Autor e vítima se depararam, ele demonstrou que queria ficar com ela, mas ela disse que não queria. Então o jovem saiu da festa e premeditou o crime. Esperou que ela também saísse e ficou aguardando no interior do veículo. Quando a encontrou, esperou que a vítima se distanciasse um pouco das amigas e tentou atropelá-la", disse Fabrício.

A garota chegou a ser atingida pelo carro, mas conseguiu se levantar e tentou fugir. "Aí ele percebeu que ela não tinha se ferido gravemente, desceu do carro e ainda disparou contra ela", relatou o delegado. Um motorista que viu o crime socorreu a vítima e a levou ao Hospital Regional de Planaltina (HRP). 

Apesar dos ferimentos na perna, ela foi hospitalizada sem risco de vida e recebeu alta no dia seguinte, na última segunda-feira (11/2). O acusado foi encontrado e preso também neste dia, após a Polícia Civil identificar o carro usado no atropelamento. Ele estava escondido em uma residência na Quadra 4 do Paranoá Park.

Ficha extensa 

O detido é conhecido dos policiais. Ele estava em prisão domiciliar e possui passagens por roubo, tráfico e até homicídio, segundo o delegado Fabrício Paiva. "Na delegacia, ele assumiu que cometeu a tentativa de atropelamento, mas colocou uma terceira pessoa como sendo autora dos disparos. Isso não é verdade, porque vítima e testemunhas afirmam, categoricamente, que foi ele quem atropelou e atirou."

A 31ª DP continuará a investigação para apurar a participação de mais alguém no crime. O acusado foi autuado pelo feminicídio tentado por motivo fútil e pode pegar uma pena de 12 a 30 anos de reclusão. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade