Publicidade

Correio Braziliense

MPDFT e representantes de blocos de rua se reúnem para debater o carnaval

Este foi o primeiro encontro entre os grupos e o MP, a menos de um mês da festa. Coletivo Blocos de Rua pede o incentivo ao carnaval do DF


postado em 12/02/2019 19:34 / atualizado em 12/02/2019 20:06

Cerca de 2 milhões de foliões são esperados pelo Coletivo Blocos de Rua(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Cerca de 2 milhões de foliões são esperados pelo Coletivo Blocos de Rua (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Representantes de blocos carnavalescos se reuniram com o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), nesta segunda-feira (11/2), para debater sobre a logística do carnaval no Distrito Federal. Este foi o primeiro encontro entre os grupos e o MPDFT, a menos de um mês da festa.

As demandas dos 30 representantes dos blocos de rua, entre tradicionais e alternativos, visam a uma política pública que entenda o crescimento do carnaval no DF e incentive a prática dos foliões. Para isso, segundo os representantes, seria necessário reavaliar algumas recomendações do MPDFT, como a proibição de blocos em áreas residenciais.

Juliana de Andrade, integrante do Coletivo Blocos de Rua, defende que o carnaval é um direito protegido pelo artigo 216 da Constituição Federal, que ordena ao Poder Público a promoção e proteção do patrimônio cultural brasileiro.

"Apenas pedimos que se cumpra o que está previsto na constituição, que o carnaval tenha um lugar cativo no calendário da cidade. Algo que é um direito constitucional do nosso povo. Não queremos que se endosse essa discurso de que o carnaval é algo que suja, que fere a nossa população. Muito pelo contrário, esse é o nosso maior tesouro artístico cultural", destaca Juliana.

No entanto, a promotora de Justiça Marilda Fontinele argumentou, dizendo não existem direitos absolutos. “Precisamos conciliar o direito de manifestação cultural e o direito dos moradores à tranquilidade, segurança e ordenação territorial”, acredita. Para ela, regulamentar o horário dos blocos de rua seria uma forma de compatibilizar esses interesses conflitantes.

Previsão recorde


Segundo o Coletivo Blocos de Rua, são esperados mais de 2 milhões de foliões nas ruas do DF. Se concretizado, será o carnaval com recorde de presentes, sendo que no ano passado 1 milhão de pessoas foram aos blocos na data, conta o coletivo. Segundo a Secretaria de Cultura, 746 mil pessoas aproveitaram o blocos em 2018. 

"Ano passado, tinhamos 138 blocos. Esse ano, só de atividade registrada temos 257. A gente tem muitas coisas difíceis para avaliar, mas o carnaval está muito fortalecido no DF. O Poder Público tem que trabalhar nesse sentido", afirma Juliana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade