Publicidade

Correio Braziliense

Mulher é presa suspeita de matar homem no Parque da Cidade

Silvana Alves Moura, 20 anos, confessou ter utilizado um facão para cortar a cabeça de Givaldo Gomes, nesta terça-feira (12/2). O motivo foi um dívida de drogas


postado em 12/02/2019 22:56 / atualizado em 12/02/2019 23:28

A autora do crime confessou ter utilizado um facão para matar a vítima(foto: Reprodução/PCDF )
A autora do crime confessou ter utilizado um facão para matar a vítima (foto: Reprodução/PCDF )
Foi presa a suspeita de matar o morador de rua Givaldo Gomes da Silva, 52 anos, na madrugada desta terça-feira (12/2), no Parque da Cidade. Silvana Alves Moura, 20 anos, confessou à Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) que, motivada por uma dívida de drogas, esfaqueou o desafeto.

Ainda pela manhã, policiais da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) foram até o local do crime. No lugar, próximo ao parque Nicolândia, encontraram a autora das facadas acompanhada de um amigo. Ainda sem saber que se tratava de Silvana Moura, os policiais levaram-na à delegacia como testemunha.

Na delegacia, Silvana confessou ter cometido o crime e afirmou ter utilizado uma faca e um facão para matar o homem. Givaldo foi encontrado às 5h40 desta terça-feira com 20 cortes pelo corpo, sendo que um em seu pescoço quase o degolou.

Segundo a autora do crime, Givaldo roubou um dinheiro que ela havia escondido, próximo ao banheiro feminino da Rodoviária do Plano Piloto. Silvana contou ser traficante de drogas e a vítima era um de seus clientes.

Na invasão que Silvana morava, na 902 Sul, os policiais encontraram as facas, as roupas que ela vestia no momento do assassinato e porções de drogas para venda. Ela será encaminhada ao presídio Feminíno do DF, no Gama. Silvana responderá pelos crimes de tráfico de drogas e homicídio duplamente qualificado - meio cruel e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

A quatro mãos


Policiais da 1ª DP estranharam a possibilidade de Silvana ter cometido o crime sozinha. A forma brutal como a morte se deu deveria ter sido cometida por mais de uma pessoa, acreditavam os investigadores.

Questionada, Silvana afimou que uma outra pessoas estava com ela no momento do assassinato. O coautor, no entando, ainda não foi localizado pels PCDF.

Apesar de o crime ter sido cometido a quatro mãos, a PCDF ainda indiciou um colega de Silvana que foi o responsável por esconder as facas utilizadas no crime. Ele responderá por favorecimento pessoal, delito que tem pena de um a seis meses de prisão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade