Publicidade

Correio Braziliense

Preso outro suspeito de participar de assassinato no Parque da Cidade

Dois jovens de 20 anos assassinaram a facadas Givaldo Gomes da Silva, 52 anos, segundo a Polícia Civil. O corpo estava com mais de 20 cortes e os assassinos divergiram sobre os motivos


postado em 13/02/2019 11:40 / atualizado em 13/02/2019 11:55

Silvana Moura, 20 anos, era traficante. Com ela, os policiais encontraram facas, dinheiro e porções de droga(foto: PCDF/Divulgação)
Silvana Moura, 20 anos, era traficante. Com ela, os policiais encontraram facas, dinheiro e porções de droga (foto: PCDF/Divulgação)

Agentes da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) prenderam suspeito de participar de um assassinato no Parque da Cidade. O crime aconteceu na madrugada de terça-feira (12/2), quando o morador de rua Givaldo Gomes da Silva, 52 anos, foi morto a facadas. Uma jovem de 20 anos foi presa em flagrante e confessou o crime. Já o suposto comparsa, que tem a mesma idade dela, foi detido nesta quarta-feira (13/2), no Recanto das Emas e também teria confessado aos policiais que ajudou a matar Givaldo. 
 
De acordo com o delegado à frente do caso, Ataliba Neto, o jovem contou que a amiga o convenceu a participar da morte de Givaldo, quando disse que a vítima teria tentado estuprá-la. "A dupla estava bebendo no Parque da Cidade, avistaram o homem e decidiram matá-lo. Ele confessou que deu o primeiro golpe, mas que as outras facadas foram desferidas pela mulher", informou. O corpo tinha mais de 20 cortes e estava quase degolado.  

Em contrapartida, a jovem presa relatou aos investigadores que a vítima teria roubado o dinheiro dela, que estava escondido na Rodoviária do Plano Piloto, próximo ao banheiro feminino. "Ela também contou ser traficante de drogas e que a vítima era um de seus clientes", frisou Ataliba. Ainda de acordo com o delegado, o suposto dinheiro subtraído por Givaldo totalizaria R$ 200.  

Investigação 

Os investigadores suspeitaram que a jovem não teria cometido o crime sozinha. Ao ser interrogada, ela confessou a participação de um amigo. "Ela só sabia o primeiro nome dele, mas apresentamos fotos de suspeitos e ela o reconheceu. Após monitoramento, conseguimos o endereço dele e o prendemos perto de casa", disse Ataliba.  

A dupla responderá por homicídio duplamente qualificado - meio cruel e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima. A mulher será acusada por tráfico de drogas. Ambos permanecem detido e devem passar por audiência de custódia ainda nesta quarta. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade