Publicidade

Correio Braziliense

Preso grupo que fraudava compra de celulares e revendia a preço baixo

Quadrilha cometia crimes no Distrito Federal para revender aparelhos dentro e fora da capital. Uma carga foi interceptada com destino a Pernambuco


postado em 27/02/2019 11:57 / atualizado em 27/02/2019 18:15

Além dos 12 homens presos no Distrito Federal, uma pessoa foi detida em Afogados da Ingazeira (PE) e um indivíduo está foragido(foto: PCDF/Divulgação)
Além dos 12 homens presos no Distrito Federal, uma pessoa foi detida em Afogados da Ingazeira (PE) e um indivíduo está foragido (foto: PCDF/Divulgação)
Policiais civis do DF prenderam 13 pessoas que adquiriam, vendiam e adulteravam aparelhos celulares durante uma operação realizada pela Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), nesta quarta-feira (27/2). Os agentes identificaram duas organizações criminosas: uma que adquiria aparelhos com documentos falsos e dava o golpe na hora de pagar; e outra que adulterava e revendia celulares furtados. Todos serão indiciados por crimes de organização criminosa, receptação e lavagem de dinheiro. A pena pode chegar a até 10 anos de prisão.
 
Os presos são acusados de venderem por preço abaixo do praticado no mercado os aparelhos telefônicos obtidos em grandes lojas varejistas, comprados na forma de crédito, com documentos falsos. Segundo o delegado André Leite, chefe da Corpatri, a loja levava o prejuízo, uma vez que depois o criminoso vendia o celular para outros lojistas, que compravam com descontos de até 40% abaixo do valor de mercado. 
 
O delegado disse que uma carga de celulares também foi interceptada a caminho do município de Afogados da Ingazeira (PE). A outra organização criminosa comprava aparelhos roubados ou furtados e reprogramava a Identificação Internacional de Equipamento Móvel (IMEI) para que pudessem ser revendidos. Os criminosos vendiam em feiras peças dos aparelhos que não eram adulterados. 
 
Além dos 13 homens presos na capital federal, uma pessoa foi detida em Pernambuco e um indivíduo está foragido. As prisões ocorreram no Sol Nascente e em Ceilândia. Ao todo, a polícia cumpriu 14 mandados de busca e apreensão nas duas regiões. Entre os produtos fruto de atividades criminosas apreendidos estão cerca 50 celulares, oito carros, dois aparelhos de televisão, oito garrafas de uísque, além de R$ 12 mil em espécie. 

As investigações começaram em novembro do ano passado e se intensificaram em janeiro. O delegado garantiu que os policiais continuarão as operações de combate ao roubo e furto de celulares, principalmente no período do carnaval, de 2 a 5 de março.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade