Publicidade

Correio Braziliense

Árvore cai durante temporal nesta quinta e atinge BMW na Asa Norte

Chuva no fim da tarde causou nó no trânsito na área central. Em Vicente Pires, precipitação durou pouco, mas foi suficiente para formar mais lama na região


postado em 28/02/2019 18:29 / atualizado em 28/02/2019 18:29

Motorista estava dentro do carro quando a árvore caiu, mas não se feriu(foto: CBMDF/Reprodução)
Motorista estava dentro do carro quando a árvore caiu, mas não se feriu (foto: CBMDF/Reprodução)
As fortes chuvas e rajadas de vento desta quinta-feira (28/2) causaram um nó no trânsito do Distrito Federal durante a volta para casa. Galhos de árvores caíram sobre as pistas e ao menos dois acidentes dificultaram o tráfego de veículos na área central de Brasília.

Em um estacionamento entre as quadras 203 e 403 da Asa Norte, uma BMW X1 - carro avaliado em mais de R$ 190 mil - foi atingida por uma parte de uma árvore que caiu durante a chuva. O Corpo de Bombeiros realizou o atendimento à dona do carro, uma mulher, que ficou presa no interior do veículo. Ela não precisou de atendimento médico.

Na W3 Norte, em frente ao Brasília Shopping, um engavetamento mobilizou o Corpo de Bombeiros. Até a última atualização dessa reportagem, os bombeiros não puderam passar a informação de carros e vítimas envolvidas no acidente.
 
Lama volta a atrapalhar vida de moradores de Vicente Pires durante chuva fraca(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Lama volta a atrapalhar vida de moradores de Vicente Pires durante chuva fraca (foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
 
 

Mais lama

  
A chuva desta quinta-feira (28/2) também foi suficiente para trazer mais dor de cabeça aos moradores de Vicente Pires. Apesar de a região não ter tido fortes pancadas, o barro das obras se transformou em lama que voltou a prejudicar o fluxo nas ruas da cidade.

Morador da rua 8, Weismann Amaral, 57, precisou vestir as galochas e usar uma pá para tirar o barro de frente de casa. "Aqui, quando chove, fica impossível. A lama das ruas de cima desce e vem para cá, aí tenho que ficar tirando tudo eu mesmo, porque às vezes não dá nem para abrir meu portão", disse o analista de sistemas.

Outro problema causado pelas obras é a falta de acessibilidade. Depois de passar por ruas esburacadas e pisar na terra molhada, Cristina Alves, 45, tem que enfrentar horas de espera na parada de ônibus. "Hoje mesmo eu não vi chover, mas a chuva dos últimos dias fica deixando a Vicente Pires terrível, e muitos ônibus nem passam por aqui." 

O comércio também sofre. Nas contas de Priscila Corrêa, 29, sua loja de produtos caninos já perdeu 50% do movimento nos últimos dois anos por conta do barro. "A cidade está sempre em obra, então fica difícil para os clientes chegarem até aqui. Na época de chuva, então, isso vira um dilúvio", reclama.

Abaixo da média

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta amarelo por causa da possibilidade de fortes chuvas em todo o Distrito Federal. O aviso foi postado às 12h, e se refere ao risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamento e de descargas eléticas até o meia-dia dessa sexta-feira (1º/3).

Até a manhã desta quinta-feira (28/2), as precipitações em fevereiro seguiam abaixo da média histórica registrada no mês - 151,9mm de chuva tinham caído sobre a capital federal, enquanto o esperado eram 183,1mm.

O meteorologista Manoel Rangel conta que a tendência é que as chuvas comecem a diminuir no próximo mês, em um início de transição para o período de seca no DF. "Janeiro era promissor em relação a chuva, mas foi um fracasso. Fevereiro não tinha uma média tão alta, mas ultrapassamos a média histórica. Não é possível prever a chuva do mês todo, mas temos boas expectativas", destaca.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade