Publicidade

Correio Braziliense

DF apresenta crescimento na indústria e queda no comércio

O Índice de Desenvolvimento Econômico do DF do quarto semestre de 2018 foi divulgado nesta terça-feira (12/3) pela Codeplan


postado em 12/03/2019 23:14 / atualizado em 12/03/2019 23:14

O enfraquecimento do comércio varejista foi uma das grandes surpresas no Idecon-DF de 2018, com queda de 2,2%(foto: Kléber Sales/CB/D.A Press)
O enfraquecimento do comércio varejista foi uma das grandes surpresas no Idecon-DF de 2018, com queda de 2,2% (foto: Kléber Sales/CB/D.A Press)
A atividade econômica no Distrito Federal cresceu 1,5% no último trimestre de 2018, em comparação com o mesmo período do ano anterior. O Índice de Desenvolvimento Econômico do DF (Idecon-DF) divulgado nesta terça-feira (12/3) pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), mostrou ainda o enfraquecimento do comércio varejista (-2,2%) e a elevação de 3,6% no setor de serviços. 

A avaliação apontou também o crescimento em outros ramos como Agropecuária (6,3%), Serviços (1,5%) e Indústria (0,2%). Para o diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan, Bruno Cruz, o resultado positivo do último setor foi uma das grandes surpresas do índice. “Desde 2015 a indústria apresentou números negativos. Para nós, apesar de pequena, a recuperação é uma boa notícia”, comemorou.
 
A Pesquisa Mensal de Serviços registrou elevação de 3,6% no volume de serviços. Os destaques foram segmentos como Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio e Serviços de informação e comunicação.

Dentro do setor de Serviços, a Construção também se destacou. O ramo teve uma pequena melhora durante 2018. “A recuperação da construção civil ainda está muito tímida, mas apresentou um avanço que não esperávamos para agora”, disse.

Em contrapartida, o destaque negativo aparece no Comércio, com retração durante o ano inteiro. “O comércio teve uma queda de 2,2%, o que nos surpreendeu também. Enquanto o ramo só cresce no país, no DF é um dos setores com resultados negativos. Estamos tentando entender os motivos que levaram a esta queda”, ressaltou Cruz. 

Expectativas

Durante a apresentação do Idecon-DF relativo ao quarto semestre de 2018, a Codeplan apresentou também a projeção para 2019. De acordo com o especialista,  a expectativa do mercado é de uma inflação brasileira de 4% ao ano, abaixo do centro da meta, que para este ano foi definida em 4,25%.

“Não podemos dizer que 2019 será um ano melhor, mas haverá uma recuperação, mesmo que lenta. Esperamos por bons resultados no trabalho forma, que pode gerar mais empregos no DF”, completou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade