Publicidade

Correio Braziliense

GDF apresenta ações realizadas no Parque Saburo Onoyama, em Taguatinga

Os parques de Águas Claras e o Ezechias Heringer, no Guará, serão os próximos a receber o projeto de revitalização, a partir da próxima semana


postado em 14/03/2019 15:37 / atualizado em 14/03/2019 15:37

Governador em exercício, Paco Britto, e secretário de Meio Ambiente, Sarney Filho, estiveram no parque para acompanhar as obras(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Governador em exercício, Paco Britto, e secretário de Meio Ambiente, Sarney Filho, estiveram no parque para acompanhar as obras (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O Governo do Distrito Federal apresentou nesta quinta-feira (14/3) as obras de revitalização e de segurança realizadas no parque Saburo Onoyama, também conhecido como Vai Quem Quer, em Taguatinga Sul. Nessa primeira etapa do projeto, foram feitas pinturas, revitalização dos banheiros, podas das árvores, manutenção das lâmpadas, entre outros serviços.

Com a presença do vice-governador do DF, Paco Britto, o secretário de Meio Ambiente, José Sarney Filho, do secretário-adjunto de Cidades, Gustavo Aires, e o presidente do Ibram, Edson Duarte, este é o primeiro espaço que recebe o programa SOS Parques. A ação iniciou em 25 de fevereiro, no Saburo Onoyama, como projeto piloto, e o intuito é realizar obras emergenciais para a recuperação de todos os parque do DF.

Por se tratar de um projeto piloto, o governador em exercício, Paco Britto, afirmou ter sido bem sucedido e que o objetivo agora é ampliar para os demais parques do DF. Ele anunciou que os próximos a receber a revitalização serão os parques de Águas Claras e o Ezechias Heringer, no Guará. A previsão é que as obras iniciem na próxima segunda-feira (18/3), simultaneamente. Depois os parques na orla do Lago Paranoá serão revitalizados.

“Estamos fazendo o que prometemos desde o início, um governo junto à população. Ouvimos suas demandas e o que querem para as cidades. E vamos seguir assim, com um governo cada vez mais próximo da população. Somos empregados da sociedade e estamos dispostos a fazer tudo em prol da cidade e da população”, discursou o vice-governador.

Sarney Filho, explica que ainda não é a entrega oficial do parque Saburo Onoyama e que o trabalho será contínuo, esta é apenas a primeira etapa. Ele afirma que o resultado já é satisfatório tanto para o governo quanto para a comunidade de Taguatinga. “Hoje é apenas uma avaliação de um trabalho que é contínuo. Mas já está recebendo o elogio das comunidades e isso é muito satisfatório para nós. A população já reconhece. E o trabalho não se encerra aqui”, ressaltou.

O presidente do Ibram, Edson Duarte, explica que há dois critérios para a escolha da ordem dos parques que receberão o projeto, o número de visitantes e o grau de necessidade. “Esses são os principais pontos que avaliamos para criar a lista, mas vamos passar por todos do DF”, afirmou.

Antes da vistoria no Saburo Onoyama, representantes dos órgãos que compõem o SOS Parques - Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Casa Civil, Novacap, Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), Companhia Energética de Brasília (CEB), Secretaria das Cidades, Administração de Taguatinga, Secretaria de Segurança Pública, Agefis, Fundação dos Economiários Federais (Funcef) - se reuniram para apresentar o que foi feito por cada um desde o início da ação. O encontro contou com a participação de moradores se Taguatinga.

Elogios e sugestões

O gestor público Juarez Carvalho, 50 anos, mora na região e aprovou a ação do governo. Ele disse estar muito satisfeito com os resultados apresentados e reforça que a maior necessidade do parque é segurança. “Vim para a reunião para apresentar algumas sugestões. Acho que é preciso fazer um controle de quem entra aqui, com identificação com um crachá ou uma catraca para a leitura da impressão digital”, sugeriu.

Ele costuma frequentar o parque com a família e conta que, antes, a situação estava caótica. “Hoje, a gente se sente assistido pelo governo. Estou satisfeito com essa atenção, mas muita coisa precisa ser melhorada”, disse o gestor público.

O estudante Washington Maia, 39, também morador de Taguatinga, ressalta que quem conhece os problemas e as demandas das regiões são os moradores e sugere que, num próximo encontro, as autoridades chamem a comunidade para poder participar do debate. “Eu vim por vontade própria, ninguém me convidou. Vim porque me importo com esses debates e quem sabe os problemas aqui do parque somos nós que frequentamos”, enfatizou.

Morador de Samambaia, o recepcionista Alberto Barroso, 48, vai sempre que pode para o parque Saburo Onoyama. Ele aproveitou que os filhos, Marcus Vinícius, 13, João Lucas, 9, e Pedro Henrique, 6, não tinham aula e tirou um tempo com a família para aproveitar o dia. “Não estava sabendo desse projeto, mas percebi que estão pintando, o banheiro está bonito. Espero que as pessoas preservem aqui. Infelizmente, Brasília tem poucos parques e espaços verdes e os que tem as pessoas não cuidam.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade