Publicidade

Correio Braziliense

GDF articula oferta de descontos em hotéis e comércio a turistas da Europa

Com acordo para transformar Brasília em um ponto de parada de voos vindos da Europa, sem pagamento adicional por parte do passageiro, o governo quer convencer empresários a darem benefícios aos turistas e incentivá-los a ficar mais tempo na capital


postado em 16/03/2019 07:00 / atualizado em 15/03/2019 22:41

Avião da TAP no Aeroporto JK: governo espera que 20 mil turistas aproveitem a oferta de stopover em Brasília(foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press - 19/7/07 )
Avião da TAP no Aeroporto JK: governo espera que 20 mil turistas aproveitem a oferta de stopover em Brasília (foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press - 19/7/07 )

Após firmar um acordo com a TAP para fazer de Brasília um stopover de voos vindos da Europa, o governador Ibaneis Rocha (MDB) vai tentar que empresários brasilienses do setor de lazer e turismo ofereçam descontos aos turistas. Em contrapartida, as empresas vão integrar uma lista que a companhia aérea portuguesa vai disponibilizar em um aplicativo de planejamento de viagem.

A previsão é de que Brasília entre na rota dos destinos brasileiros a partir do segundo semestre. O Governo do Distrito Federal (GDF) espera que o projeto atraia 20 mil turistas à capital no primeiro ano de funcionamento. Para incentivar os empresários a aderir a ideia de Ibaneis, os sindicatos do setor pretendem fazer um trabalho de sensibilização com a categoria.

“Vamos oferecer leques gastronômicos e opções de rede hoteleira para o visitante escolher o orçamento que cabe no seu bolso com uma série de benefícios. Vamos ofertar o melhor da cidade, da gastronomia e da hotelaria e o turista vai poder usufruir de toda a beleza que a capital proporciona”, destaca o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhobar), Jael Antônio da Silva.

Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio-DF), Francisco Maia afirma que “não adianta só oferecer o stopover sem apoio desses outros setores”. Por isso, também apoia o plano do GDF. “Precisa ter um preparo, com guias e programas com descontos, para o turista saber onde ele pode ir. Isso é fundamental para valorizar o projeto”, ressalta.

Outra apoiadora é a presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Adriana Pinto. “Criaremos um desejo dos turistas de virem para a cidade. Vários hotéis vão aderir a ação e aplaudimos essa ação do governador. É algo que não vai trazer retorno imediato, mas, a partir da divulgação e da publicidade da nossa cidade, o ganho é real e imediato”, reforça.

A Secretaria de Turismo do Distrito Federal confirmou que será criado um clube de vantagens para os passageiros que optarem pelo stopover. Segundo a pasta, essa medida vai permitir descontos em hospedagem e alimentação.

Investidores


Em Lisboa, onde está a trabalho, o governador Ibaneis Rocha teve, ontem, sete reuniões com empresários do setor de construtoras e investidores, ocasião em que ele apresentou projetos de interesse do GDF. Participaram do encontro representantes da Teixeira Duarte, que atua em obra de presídios, e da Board Member, responsável pela manutenção do Aeroporto Galeão, no Rio de Janeiro, e outras obras em demais cidades brasileiras.

Eles conversaram sobre obras como o VLT da W3 Sul; a expansão da Saída Norte; a criação da Interbairros; a construção de uma quarta ponte sobre o Lago Paranoá; além da expansão do metrô; o plano de implementar parcerias público-privadas na área de educação e a retomada de uma obra no Complexo Penitenciário da Papuda.

Ibaneis também se reuniu com uma agência especializada de turismo e esteve com um sócio do prefeito de Londres. A prefeitura da capital inglesa comanda um trabalho de cultura que será implementado em Brasília. Trata-se de fomento à produção cultural com o funcionamento de uma oficina no Espaço Cultural Renato Russo. Há previsão de levar o projeto a outras regiões administrativas.

Em Portugal, Ibaneis ainda se encontrou com diretores do Latin Cities Culture Fórum e da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI). Também autorizou o início imediato do programa “Usina Criativa”, em que jovens de todas as regiões do DF serão capacitados nos 21 eixos da área de economia criativa: teatro, cinema, artesanato, game, entre outras. “Vamos alavancar o mercado no DF e, para isso, precisaremos ter mão de obra capacitada. Hoje, a economia criativa já representa 3,1% do PIB do DF”, destacou o governador.


Destino intermediário

As conexões entre um voo e outro são comuns em viagens de grandes distâncias. Porém, quando o turista tem um tempo a mais, ele pode fazer um stopover. Esse termo é usado quando o passageiro deseja conhecer uma cidade que está no destino intermediário. Ele pode levar, inclusive, as malas e passar alguns dias na região. Quando retoma a viagem, ele não precisa arcar com uma nova passagem e continua na programação normal do roteiro escolhido.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade