Publicidade

Correio Braziliense

Homem preso após tentar matar mulher no Guará seria assassino de aluguel

O crime teria sido encomendado pelo ex-companheiro da vítima, que não aceitava o fim do relacionamento. Além dos dois acusados, outros dois homens foram presos durante as investigações


postado em 16/03/2019 13:10 / atualizado em 16/03/2019 14:36

Vítima relatou que sofria agressões físicas e psicológicas do ex-companheiro e mandante do crime(foto: Kleber Sales/CB/D.A Press)
Vítima relatou que sofria agressões físicas e psicológicas do ex-companheiro e mandante do crime (foto: Kleber Sales/CB/D.A Press)

O homem que tentou matar a tiros uma mulher, no Guará, foi preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), neste sábado (16/3). De acordo com as investigações, Higo Augusto da Cruz Ramos, de 19 anos, atirou diversas vezes contra a vítima, a mando do ex-companheiro dela, Wanderson Kaíque Ribeiro da Silva, 34 anos. Higo tem diversas passagens pela polícia, incluindo homicídios, e a suspeita é de que ele seja um assassino de aluguel. 

A tentativa de feminicídio aconteceu em 13 de janeiro, próximo à Paróquia São José, no Lúcio Costa. Higo saiu de um Renault Megane e, antes que a mulher conseguisse entrar no carro dela, correu e a derrubou. "A vítima conta que caiu e, quando ele mirou na cabeça dela, a arma falhou. Ela levantou e tentou correr, chegou a cair novamente e como houve consecutivas falhas nos disparos, conseguiu fugir. Antes, porém, foi atingida por um disparo, de raspão, nas costas", detalha o delegado-adjunto da 4ª Delegacia de Polícia (Guará), Douglas Fernandes. 

Kaíque já está preso desde janeiro. Em depoimento à polícia, a vítima narrou que estava separada do ex-companheiro havia cinco meses e que, em dois anos de relacionamento, sofreu diversas agressões físicas e psicológicas, mas não teve coragem de denunciar. Em disso, terminou o namoro e interrompeu o contato com o ex, acreditando que ele não sabia o local em que ela estaria morando. "Ela suspeitava desde o começo que Kaíque seria o responsável pela tentativa de feminicídio, mas afirmava que ele não seria o autor dos disparos", explica o delegado. 

Foi rastreando o veículo utilizado durante o crime que os investigadores chegaram a um provável terceiro envolvido, identificado como Alexandre Arimar, conhecido também Buá, de 29 anos. O carro foi encontrado na casa dele, na noite dessa sexta-feira (15/3), no Jardim Ingá (GO). Ele está preso temporariamente. 

No dia seguinte à tentativa de feminicídio, as equipes localizaram Higo dentro de casa, na Cidade Ocidental (GO). Com ele foram encontradas uma arma com numeração raspada, além de duas porções de droga, uma de maconha e outra de cocaína. No local também estava Samuel Oliveira de Vasconcelos, que, apesar de não haver indícios de relação com o crime, acabou preso por portar outra arma, também com numeração raspada. 

Na delegacia, a vítima reconheceu Higo como sendo o autor dos disparos. Os acusados tiveram a prisão temporária decretada e ficarão à disposição da Justiça. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade