Publicidade

Correio Braziliense

Falsificação de CNH: Polícia Civil prende quatro em gráfica de Ceilândia

A gráfica ficava na QNM 4. Lá, os investigadores encontraram, além de CNHs falsas, espelhos em branco de identidade; certificado de registro e licenciamento de veículos, entre outros documentos falsos


postado em 04/04/2019 08:57 / atualizado em 04/04/2019 17:45

Como um deles, inclusive, apresentou documento falso ao ser detido, também será indiciado por isso(foto: PCDF/Divulgação)
Como um deles, inclusive, apresentou documento falso ao ser detido, também será indiciado por isso (foto: PCDF/Divulgação)
Policiais civis prenderam em flagrante três homens por produzirem documentos falsos em uma gráfica na QNM 4, em Ceilândia. Uma pessoa que comprava identidade falsa na hora também foi presa. Os agentes confirmaram que os acusados faziam diversos documentos públicos, como Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV).

A Polícia Civil detalhou que, no interior da gráfica, os policiais apreenderam, além dos documentos falsos, cerca de R$ 2 mil em espécie e selos falsificados de Departamentos de Trânsito de Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Paraíba, Tocantins e do Distrito Federal. A ação, que ocorreu na tarde dessa quarta-feira (3/4), foi chefiada pela Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf), mas divulgada apenas na manhã desta quinta (4/4). 

No local revistado, os criminosos também tinham modelos de diplomas, histórico escolar, cártulas de cheques, cartões de banco, certidões de cartórios em branco e diversos apetrechos destinados à produção de documentos falsos.
 

Investigação após compra de veículo 

 
Os agentes chegaram até os criminosos após duas prisões ocorridas na semana passada. “Fomos acionados por funcionários de uma loja de veículos. Eles desconfiaram da documentação apresentada por duas pessoas durante o financiamento de um carro. Depois que identificamos que tratava-se de uma falsificação, a dupla foi presa e procuramos pela gráfica responsável”, disse o delegado Wisllei Salomão, coordenador da Corf. Segundo ele, na documentação tinha uma referência que permitiu aos investigadores localizarem o local. 

Assim que chegaram lá, os policiais flagraram os criminosos produzindo na hora CNHs. O dono da gráfica confessou os crimes e relatou que fazia isso há oito anos. “Ele informou que trabalhava para um terceiro. Agora, vamos atrás dessa pessoa, bem como dos indivíduos que adquiriram algum documento falso. Todos responderão”, explica Salomão. O delegado contou que, até o momento, não há suspeita do envolvimento de funcionários públicos, como agentes do Departamento de Trânsito (Detran-DF).

O quarteto preso vai responder pelos crimes de associação criminosa, falsificação de documento público e receptação. Como um deles, inclusive, apresentou documento falso ao ser detido, também será indiciado por isso. Um dos quatro era foragido. Os outros tinham histórico policial, com registro de estupro de vulnerável, estelionato, receptação e ameaça. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade