Publicidade

Correio Braziliense

'Você vai me pagar', disse suspeito antes de matar mulher grávida

O caso aconteceu neste domingo (14/4), em Sobradinho 2. Luana Bezerra da Silva morreu a golpes de facadas, em frente às filhas de 9 e 1 ano. Acusado está foragido


postado em 14/04/2019 21:41 / atualizado em 14/04/2019 23:14

Luana levou pelo menos quatro facadas nas costas. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos(foto: Arquivo Pessoal)
Luana levou pelo menos quatro facadas nas costas. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos (foto: Arquivo Pessoal)
Luana Bezerra da Silva, 28 anos, teria discutido com o companheiro na noite de sábado (13/4), quando foi ameaçada. Ele foi assassinada a golpes de facadas neste domingo (14), em frente à filha de 9 anos e à mais nova, de 1 ano, fruto do relacionamento com o suspeito. Ele ainda está foragido. 

Segundo relatos de vizinhos à reportagem, o marido de Luana, Luiz Filipe Alves de Sousa, 20, teria brigado com a vítima, ente às 22h e 23h de sábado. “Ele estava de bicicleta na esquina da rua e, ao avistá-la perto, foi muito hostil”, conta, sob condição de anonimato. 

"O que você quer, me atentando de novo?", teria dito Luiz. A mulher carregava a filha do casal nos braços e respondeu: "Eu só quero a chave de casa para entrar com a minha filha". O homem chegou a ser repreendido, mas não se importou. "Você vai ver! Você ainda me paga!", teria gritado a Luana. 

Preocupada com as discussões, a vítima procurou o único irmão, Daniel Bezerra da Silva, 31, por volta das 10h deste domingo. "Ela pediu 30 reais para ir embora, mas, na hora, não pensei ser algo grave. Como começou a chover, pedi para ela vir buscar o dinheiro. Só que não deu tempo. Eu estou sem chão, se eu tivesse ajudado, nada teria acontecido", lamenta o morador de Sobradinho 2. 

Por volta das 12h, Luana foi atacada pelas costas. Foram pelo menos quatro facadas, mas a fatal foi a que pegou o pescoço dela. Ainda segundo familiares, havia cortes nos braços da vítima, o que indica que ela resistiu aos golpes. 

A filha mais velha dela saiu correndo para a rua, gritando por socorro. Um vizinho brigadista foi o primeiro a socorrê-la. Ele relatou que os bombeiros levaram cerca de 30 minutos para chegar ao local do crime.

A vítima ainda foi socorrida e levada ao Hospital Regional de Sobradinho, tendo resistido a uma parada cardiorrespiratória. Contudo, após receber os primeiros atendimentos, faleceu. 

Luana deixa quatro filhos: a mais velha de 9 anos, uma de 8, um garoto de 7 e a primeira filha do casal, de 1 ano e 3 meses. Ela estava grávida de três meses do quinto bebê. A vítima é natural do município baiano de Bom Jesus da Lapa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade