Publicidade

Correio Braziliense

Justiça condena policial militar que matou amante da ex-companheira

Crime ocorreu em dezembro de 2016, em Samambaia. O policial também foi condenado à perda do cargo público, mas poderá recorrer da sentença em liberdade


postado em 15/04/2019 20:49 / atualizado em 15/04/2019 20:49

(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
O Tribunal do Júri de Samambaia condenou, na última sexta-feira (12/4), um cabo da Polícia Militar do Distrito Federal a 17 anos de prisão, em regime fechado, pelo homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima. O policial também foi condenado à perda do cargo público, mas poderá recorrer da sentença em liberdade.

O crime ocorreu em dezembro de 2016, próximo ao Parque Três Meninas, em Samambaia. O policial efetuou disparos de arma de fogo contra a vítima, que seria amante da mulher do militar.

Para o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o crime foi motivado pela torpeza, em razão de o réu ter matado a vítima porque ela mantinha relacionamento extraconjugal com a mulher dele. Além disso, o crime foi praticado mediante recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa do ofendido, pois o acusado parou seu automóvel em frente ao da vítima, impedindo-a de deixar o local dos fatos.

A defesa do réu, por sua vez, sustentou o argumento da legítima defesa, em razão de o crime ter sido cometido sob domínio de violenta emoção, logo após injusta provocação da vítima.

Ao deliberarem, os jurados acolheram integralmente a denúncia do MPDFT. 
 
Com informações do TJDFT  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade