Publicidade

Correio Braziliense

Jacaré 'Juriscleudo' é capturado no Lago Paranoá

Este é o oitavo jacaré encontrado no DF neste ano. O animal de 60 kg tem entre 15 e 20 anos e será levado ao Zoológico para medicação


postado em 16/04/2019 10:07 / atualizado em 16/04/2019 12:00

Jacaré foi encontrado com um arame na boca e será levado ao Zoológico para tratamento(foto: Divulgação / BPMA)
Jacaré foi encontrado com um arame na boca e será levado ao Zoológico para tratamento (foto: Divulgação / BPMA)
Um jacaré de cerca de 1,60 m e 60 kg foi capturado na madrugada de hoje pelo Batalhão de Polícia Militar Ambiental do Distrito Federal (BPMA-DF) no Lago Paranoá, próximo à ponte do Bragueto. O réptil tinha sido visto pela primeira vez na quinta-feira por funcionários de uma obra próxima à área que fizeram um vídeo e enviaram as imagens ao batalhão. Este é o oitavo jacaré encontrado este ano no DF, dobro de 2018.
 
Desde sexta-feira, os militares têm monitorado a região e na noite de ontem executaram uma operação noturna para localizar o animal. Às 3h ele foi encontrado e levado ao Centro de Acolhimento Provisório de Animais (Ceapa) para os primeiros cuidados. A equipe que fez a apreensão o batizou carinhosamente de Juriscleudo.
 
Segundo o Major Souza Júnior, trata-se de um animal adulto, entre 15 e 20 anos, da espécie Jacaretinga. "A finalidade da retirada dele foi evitar caçadores, uma vez que era sempre visto no mesmo ponto e a segunda é fazer a medicação". Juriscleudo está com uma espécie de arame na boca, provavelmente um anzol, o que está dificultando a alimentação.
 
Apesar do nome, ainda não foi possível fazer o teste de sexagem do animal para saber se é um macho ou fêmea. Na manhã de hoje (16/4), o BPMA vai levá-lo ao Zoológico para tratamento e em seguida deve ser solto em ambiente natural. Segundo o major, dois dedos de uma pata esquerda estão amputados, o que pode ter sido causado por uma briga de espécies.
 
O Jacaretinga pode chegar a ter 2 metros de comprimento. "É um animal silvestre. Se ele se sentir encurralado ou mesmo ameaçado pela ação humana, pode vir a atacar.. É espécie mais tranquila do que outras, como o Açu, mas também pode demonstrar agressividade", ressalta Souza Júnior.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade