Publicidade

Correio Braziliense

Justiça mantém condenação de PM que matou vizinho por cuspida na varanda

Crime ocorreu em setembro de 2017. Policial atirou duas vezes contra o vizinho


postado em 16/04/2019 21:12 / atualizado em 16/04/2019 21:51

(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
A 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), em decisão unânime, negou recurso de apelação interposto pela defesa do policial militar, condenado, em 1ª instância, por matar o vizinho, em setembro de 2017, no prédio onde moravam, em Samambaia. O motivo do homicídio triplamente qualificado, foi um cuspe na varanda de um dos apartamentos. 

Os desembargadores mantiveram a sentença de 15 anos, 6 meses e 20 dias de prisão, em regime fechado, proferida pelo Tribunal do Júri de Samambaia, em agosto de 2018, e sem direito de recorrer em liberdade. 

À época, o réu foi condenado por homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e perigo comum. Segundo os autos, no dia 7 de setembro, o policial militar aborreceu-se ao ver uma marca de cuspe na varanda do apartamento dele e passou a tomar satisfação com o vizinho por meio de grupo de moradores no aplicativo Whatsapp.

O confronto entre os dois aumentou quando a vítima falou para o policial procurá-lo pessoalmente para resolverem a questão. Os dois discutiram, entraram em luta corporal, tendo a vítima derrubado o réu com um soco. Quando ele se levantou, empunhou uma arma que levava no coldre e atirou contra o vizinho, que correu para dentro do apartamento. O PM atirou mais duas vezes, acertando a vítima que ficou caída dentro da sala. As mulheres de ambos e outro vizinho presenciaram a dinâmica dos fatos e testemunharam no processo.
 
 
Com informações do TJDFT  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade