Publicidade

Correio Braziliense

Casal é preso após espancar homem com barra de ferro por causa de R$ 20

Suspeitos viram a vítima de 54 anos receber o dinheiro por um serviço e, depois, a atacaram. O homem só sobreviveu porque conseguiu fugir e pedir ajuda em hospital


postado em 23/04/2019 16:45 / atualizado em 23/04/2019 19:10

(foto: Reprodução/internet)
(foto: Reprodução/internet)
Um homem de 54 anos quase foi morto durante um espancamento na Quadra 4 da ADE de Ceilândia. O motivo da barbárie foi R$ 20 que ele recebeu por um serviço como lanterneiro. Os suspeitos, um casal de 50 e 41 anos, estão presos preventivamente pelo crime, que aconteceu em 20 de julho do ano passado. A 23ª Delegacia de Polícia (Setor P Sul) foi a responsável pelo cumprimento dos mandados, na tarde desta terça-feira (23/4). 

 

Segundo o delegado-adjunto Maurício Iacozzilli, os suspeitos viram a vítima receber o dinheiro pelo trabalho e, sem qualquer ação anterior, a atacaram. "Eles simplesmente pegaram a barra de ferro e partiram para cima do trabalhador. Enquanto o homem o agredia, a mulher aproveitou o momento para pegar os 20 reais", explica. 

 

Mesmo com o dinheiro em mãos, Paulo Cezar da Silva, 50, e Gracileia Pires de Sousa, 41, não ficaram satisfeitos. "Tratam-se de indivíduos violentos, que não tinham a intenção de deixar a vítima viva. O lanterneiro só conseguiu sobreviver, após diversas tentativas, conseguir fugir dos agressores. Ele correu sem parar até chegar ao hospital", salienta Iacozzilli. 

 

O homem recebeu atendimento médico no Hospital Regional de Ceilândia e, posteriormente, registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil. A Justiça determinou a prisão preventiva dos acusados e expediu os mandados em setembro de 2018. Paulo tem duas passagens por roubo, enquanto Gracileia já respondeu por roubo e agressão.

 

Agora, a dupla está detida na 23ª DP para finalizar os trâmites legais na unidade. Eles ficarão sob responsabilidade da Divisão de Controle e Custódia de Presos (DCCP), antes de Paulo ser levado para a Papuda e, Gracileia, para a Colméia. 

 

Maurício Iacozzilli também delimita que agentes estão trabalhando "visando diminuir o número de roubos na região. Por isso, estamos pesquisando os mandados pelo crime em aberto na delegacia. Com as informações, cumprindo os mandados com o objetivo de tirar das ruas estes tipos de criminosos."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade