Publicidade

Correio Braziliense

Ibaneis assina primeira concessão que regulariza igrejas e entidades

GDF passa a utilizar moeda social para legalizar entidades assistenciais que ocupam áreas públicas. Lar dos Velinhos Bezerra de Menezes é a primeira a receber Concessão de Direito Real de Uso (CDRU)


postado em 14/05/2019 15:06 / atualizado em 14/05/2019 15:06

Inês Miranda, diretora presidente do Lar dos Velinhos, celebrou a parceria divulgando a ampliação do projeto(foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasilia)
Inês Miranda, diretora presidente do Lar dos Velinhos, celebrou a parceria divulgando a ampliação do projeto (foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasilia)
O Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, assinou, nesta terça-feira (14/5), a primeira Concessão de Direito Real de Uso (CDRU) na capital. O documento regulariza igrejas e entidades públicas por meio da moeda social. Ou seja, as instituições firmam um contrato de concessão do direito de uso e, em troca, oferecem serviços de assistência social de forma gratuita. 

A primeira associação a oficializar a parceria é o Lar dos Velhinhos Bezerra de Menezes, em Sobradinho. O contrato foi assinado no Palácio do Buriti, onde representantes e beneficiários dos projetos do lar estiveram presentes. Inês Miranda, diretora presidente da instituição, celebrou a parceria divulgando a ampliação do projeto a partir da regulamentação.

"Existimos há 38 anos, abrigando idosos em situação de longa permanência, excluídos, que estão inseridos em atividades conosco. E nosso terreno é importante, porque temos um projeto de aplicação do serviço para atender mais 40 idosos, pelo menos, em uma modalidade ideal, em que eles passam a manhã e tarde no Lar dos Velinhos e retornam para suas casa à noite", comemorou Inês. Ibaneis aproveitou a oportunidade para anunciar que doará todo seu salário de 2020 para o Lar de Sobradinho, um valor de R$ 18 mil mensais. 

O governador afirmou ainda que as parcerias com outras instituições continuarão ocorrendo ao longo do ano. "No Distrito Federal, temos uma carência de quase 20 mil vagas de creche, temos carência de atendimento aos idosos, que passam das 8 mil pessoas, e temos ainda um atendimento precário de jovens com dependência química. Tudo isso precisa ser resolvido de forma a envolver a sociedade civil e o terceiro setor, porque o governo sozinho não tem capacidade de resolver o problema", disse.

A Secretaria de Educação, por exemplo, tem conversas adiantadas com o GDF para que igrejas sejam utilizadas como creches, segundo Ibaneis. O presidente da Terracap, Gilberto Occhi, ressaltou a importância de envolver mais pastas no trabalho dessas concessões. "Nosso papel hoje aqui é de incentivo, para que outras entidades e outros órgãos desse governo façam esse trabalho social, dentro da lei, dentro do regramento e da oportunidade", finalizou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade