Publicidade

Correio Braziliense

Abril registra queda de quase 50% em mortes no trânsito no DF

Segundo levantamento preliminar do Detran-DF, este é o segundo quadrimestre com o menor registro de vítimas fatais, atrás apenas de 2017


postado em 15/05/2019 21:39 / atualizado em 15/05/2019 21:39

Com o tema 'No trânsito, o sentido é a vida', o Detran-DF desenvolve diversas ações de fiscalização e educação de trânsito no Maio Amarelo(foto: Detran-DF/Divulgação )
Com o tema 'No trânsito, o sentido é a vida', o Detran-DF desenvolve diversas ações de fiscalização e educação de trânsito no Maio Amarelo (foto: Detran-DF/Divulgação )
O mês de abril registrou redução de quase 50% no número de acidentes de trânsito com morte do Distrito Federal, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os dados são de levantamento preliminar feito pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) e mostram que houve 18 acidentes desse tipo na capital. No ano passado, foram 36.

 

Ao todo, vinte pessoas morreram em decorrência de acidentes nas vias da capital. Em 2018, o número chegou a 39 no mesmo mês.

 

Também segundo dados da Gerência de Estatísticas do Detran-DF, de janeiro a abril deste ano, 89 mortes no trânsito foram registradas. O número é 27,6% menor que o apontado no mesmo período de 2018, quando ocorreram 123 óbitos. 

 

Apesar de preliminares, os dados indicam que, nos últimos 10 anos, este é o segundo quadrimestre com o menor registro de vítimas fatais, atrás apenas de 2017, quando ocorreram 72 mortes no mesmo período.  

 
Maio Amarelo  

 

Em parceria com outros órgãos, o Detran-DF promove, desde o início do mês, diversas ações de fiscalização e educação de trânsito. Este ano, a campanha do Maio Amarelo tem com o tema 'No trânsito, o sentido é a vida'.

 

Neste mês, de acordo com o levantamento preliminar, oito mortes no trânsito foram registradas. De janeiro até 12 de maio de 2019, foram 97, enquanto, no ano passado, 134 pessoas morreram na mesma situação. 

 

Em relação aos ciclistas, a redução foi de 55%. Em 2018, foram registrados 11 óbitos e, em 2019, cinco. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade